resenha

Apenas um dia – Gayle Forman

10 ago 2015
Informações

apenas um dia

gayle forman

novo conceito

série apenas um dia #1

384 páginas | 2014

3

Design 3.5

História 2.5

A vida de Allyson Healey é exatamente igual a sua mala de viagem: organizada, planejada, sistematizada. Então, no último dia do seu curso de extensão na Europa, depois de três semanas de dedicação integral, ela conhece Willem. De espírito livre, o ator sem destino certo é tudo o que Allyson não é. Willem a convida para adiar seus próximos compromissos e ir com ele para Paris. E Allyson aceita. Essa decisão inesperada a impulsiona para um dia de riscos, de romance, de liberdade, de intimidade: 24 horas que irão transformar a sua vida.

Apenas um Dia fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro… Muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos.

Design

Não sei se vocês viram, mas a Novo Conceito vai relançar Apenas Um Dia com uma nova capa, para fazer parzinho com a capa da continuação. Acho legal, as pessoas que comprarem os livros agora vão poder ficar com elas combinandinho, mas sabem, eu ainda prefiro o conceito da capa original, que é a que eu tenho.

Nova capa - Apenas um dia - Gayle Forman

Acho que tem mais a ver com o clima melancólico e meio depressivo da história e da personagem. A menina com o cabelo com corte estranho, sozinha e contemplativa com um relógio gigante que não tem nada a ver com ela. Tudo bem, não vou ter a dupla dinâmica das capas do mesma linha gráfica, mas eu talvez preferisse que a continuação primeiro fosse lançada no estilo antigo e depois os livros fossem relançados juntos no novo.

Apesar de preferir a arte da capa antiga, eu não curto muito a fonte usada no título. É cursiva e feminina, mas não sei se combinou direito… a fonte da arte nova é mais interessante (e a mesma dos outros livros da autora também). Tenho gostado bastante dessas capas “brancas” que surgem de vez em quando no mercado. Sei lá, com pouca interferência visual, é meio que um respiro entre capas muito elaboradas e eu gosto desse descanso.

O miolo é do estilo mais simples que a Novo Conceito faz de vez em quando em seus livros. Segue um padrão de fonte um pouco grande com uma entrelinha espaçada, o que forma uma mancha bem espalhada na página. Mas fora isso, não tem muita inovação ou diferenças marcantes como em outros livros da editora.


História

Gayle Forman é uma autora mega adorada pela blogosfera por seu sucesso (que virou filme) Se Eu Ficar. Tenho o livro aqui em casa mas ainda não tive a oportunidade de ler. A proposta de Apenas Um Dia me conquistou um pouco mais do que a do outro livro, e como tinha solicitado Apenas Um Ano, comecei minha experiência com a autora por esta “duologia”.

Mas assim… Sério que era para eu gostar de Allyson, a personagem principal? Não consegui criar identificação ou empatia pela personagem. Ela faz slut shame assim que se afasta de sua suposta melhor amiga. Se propõem a ir em uma viagem com um cara que não conhece e cruzou olhares em uma noite (hello traficantes de órgãos e de escravas sexuais?!), leva sua mala principal e larga em algum lugar que o cara sugere e não se preocupou em “como faz” se ficar sem dinheiro?!

You're so dumb

Sério que era para eu achar legal que a menina certinha teve um rompante de aventura por causa de um papo furado qualquer e um pressuposto interesse do carinha?! Eu simplesmente estava passando as páginas e pensando em como a Allyson é burra, tentando ser algo que não é, tentando encontrar conexão com uma pessoa completamente estranha, tentando se convencer que para ser feliz ela precisa dar uma de “livin la vida loca”.

Juro que não tava rolando, Pessoas! T^T Tive aquela grande sensação de que ia ser um daqueles livros que eu ia abandonar. Sente o “drama”!

A garota ganha uma viagem por várias cidades importantes da Europa como presente por terminar o ensino médio e entrar na faculdade, e a única coisa que faz é reclamar que não foi para Paris! Trocentas cidades em duas semanas e ela tem a pachorra de dizer que não gostou de nenhuma porque não eram Paris! Olá problemas de menina rica… =/

E Willem, o interesse romântico de Allyson, que carinha sem graça, sem sal, não consigo me interessar por ele. Willem parece uma mentira ambulante, não tem carisma direito, e parece mudar de humor de uma página para a outra. Ele ser a causa de todo sofrimento de Allyson não colou.

Então temos a segunda parte do livro, e Allyson está na faculdade, deprimida e perdida. Teria como eu começar a me interessar mais pela história, mas Allyson continua com o slut shame das colegas de quarto na faculdade, faz mais slut shame quando reencontra a (ex) melhor amiga, continua sendo burra, porque precisou de uma pessoa para sugerir que ela usasse a internet para procurar pelo garoto que passou um dia em Paris. Tipo, “Alo, internet?! Google?!”. Para mim foi um furo tão grande de planejamento da história que só piorou meu relacionamento com a personagem.

Só que nesse momento eu já tinha ido tão longe que foi melhor acabar com o sofrimento de uma vez. Allyson decide bater de frente com os pais, coisa que nunca fez, meio que entra em um clima de adolescência retardada (no sentido de atrasada), e larga tudo para ir para Paris. Porque é assim que se faz as coisas, vamos largar tudo e tentar achar em um país imenso uma pessoa que você não vê há um ano. Vamos deixar a cargo do destino e das boas coincidências colocarem as coisas certas no nosso caminho.

Acho que não foram só os personagens que não me agradaram. Todo esse lance de “O Segredo”, de jogar para o universo que ele resolve… não bate muito bem comigo. É como se você aceitasse que não precisa “trabalhar” ou se dedicar para uma coisa acontecer. Fica a cargo do universo fazer por você…

Bang your head

E o final?! Cara, o final em aberto é a pior coisa que existe no mundo… A vontade que me deixou de ler o segundo volume foi praticamente nula. Confesso que só vou pegar porque deve explicar o que aconteceu com Willem e porque foi uma das minhas solicitações pela parceria, porque senão…. provavelmente nem chegaria perto da minha estante.


Até a próxima! o/

banner-resenha-novo-conceito

Você também vai gostar

3 Comentários

  • Responder Renata 5 jun 2016 at 12:32

    Muito obrigada Samara pela sua resposta e atenção :) O jeito é ter paciência para esperar até eles decidirem publicar =/

  • Responder Renata 30 maio 2016 at 12:08

    Olá! Voce sabe quando eles vao lançar a segunda ediçao/capa do primeiro livro? Porque hoje é 30 de maio de 2016 e ela nao está a venda ainda :(

    • Responder Samara Maima 30 maio 2016 at 16:07

      Eita, Renata… não sei te informar. A Novo Conceito anda meio devagar, inclusive nas redes sociais. Se não me engano eles andam com pouquíssimos lançamentos comparado com a quantidade de anos anteriores. Pode ser que tenham atrasado a impressão da nova capa. =/

    Deixe uma resposta