resenha

Desafio – C.J. Redwine

29 set 2014
Informações

desafio

c.j. redwine

novo conceito

série trilogia desafio #1

368 páginas | 2014

4.25

Design 4

História 4.5

No interior das muralhas de Baalboden, à sombra do brutal Comandante da cidade, Rachel Adams guarda um segredo. Enquanto as outras garotas fazem vestidos e obedecem a seus Protetores, Rachel é capaz de sobreviver nas florestas e de manejar uma espada com destreza. Quando seu pai, Jared, é declarado morto em uma missão, o Comandante designa para Rachel um novo Protetor: Logan, o aprendiz de seu pai, o mesmo rapaz a quem Rachel declarou o seu amor há dois anos, e o mesmo que a rejeitou. Com nada além da forte convicção de que seu pai está vivo, Rachel decide fugir e encontrá-lo por conta própria. Mas uma traição contra o Comandante tem um preço alto, e o destino que a aguarda nas Terras Ermas pode destruí-la.

design

A capa de Desafio é uma adaptação da original, mantendo a mesma arte da que foi lançada lá fora. A imagem é bastante forte, com a menina ruiva em trajes que não são aqueles enoooormes vestidos de festas e todo o ambiente em si chama bastante a atenção. É uma pena que, por ser bastante escura, a imagem da cidade-fortaleza embaixo da modelo, quase se perde na capa, e uma olhada sem muito cuidado pode perder essa informação.

Gostei bastante da aplicação de hot-stamping prateado no título do livro, mas minha cópia veio com o registro do verniz sobre o nome da autora fora do lugar. Na lombada o título se perde um pouco, de novo a questão de ser uma imagem muito escura, e como aqui não tem hot-stamping, o degradê imitando metal deveria ser um pouco mais trabalhado.

Não sei bem o que os autores gostam tanto de personagens ruivos. Talvez por eles representarem uma porcentagem mais baixa de pessoas no mundo. No Goodreads existe até uma lista de livros voltados para personagens ruivos ou com ruivos na capa (aqui ó).

O miolo me agradou bastante, com uma ocupação harmônica da mancha de texto na página, boa entrelinha e uma fonte bastante agradável de ler. Porém, as aberturas de capítulo tem uma inversão de hierarquia na minha opinião. Como os capítulos alternam entre os personagens, além do número, eles têm o nome do personagem do PoV. Para mim o nome é muito mais importante do que o número do capítulo e deveria ter uma presença e corpo maior na página. Contei quatro fontes diferentes no miolo e particularmente não vejo necessidade em tantas assim. Variar peso e estilo de uma família já dá oportunidades ótimas para uma diagramação de texto.


história

Em 2012, quando me cadastrei no Goodreads, lembro que um livro específico me chamou muito a atenção por causa de sua capa. Defiance tinha uma moça ruiva (nada de muito diferente de tantas ruivas por aí) mas com uma roupa de batalha (isso sim um pouco diferente). Toda a ambientação da capa era instigante e interessante, então fiquei pensando em talvez comprar a versão digital.

Julho de 2014. A editora Novo Conceito lança exatamente o livro que eu estava achando que nunca sairia por aqui! E a história é muito mais interessante do que imaginei.

Em um “futuro” de nossa sociedade, toda a humanidade está concentrada atrás de diferentes cidades-fortalezas espalhadas pelo planeta. A ganância dos humanos em perfurar a terra em busca de metais e pedras preciosas acabou libertando o Maldito, e ele foi responsável pela destruição de tudo o que se conhecia.

Toothless

A sociedade regrediu/progrediu para um estado feudal/patriarcal, com certo desenvolvimento tecnológico, ao mesmo tempo que se baseia em uma hierarquia em que as mulheres “pertencem” aos homens que são seus protetores. Primeiro seus pais, depois, ao atingir os 16 anos, elas podem ser tomadas por outros homens que passam a ser seus maridos e protetores.

Em Baalboden, Rachel espera por seu pai, que está desaparecido há mais de um mês. Ele é um mensageiro, um rastreador, e não voltou para casa desde sua última missão. Como Rachel não pode ficar sozinha, o Comandante da cidade dá seu pai como morto e segue as direções de seu testamento, nomeando Logan McEntire, aprendiz do pai de Rachel, como seu novo protetor até a toma.

Só que Logan e Rachel tem uma história. Um ano antes, a menina havia se declarado para o aprendiz e foi rejeitada. Como ela agora pode ser protegida pelo rapaz que teve que aprender a “odiar”? Rachel foi criada somente por seu pai, e junto com Logan, foi treinada para ser uma mensageira e rastreadora, e isso faz com seja extremamente belicosa e independente, muito diferente do que se espera de uma jovem de Baalboden.

Rachel e Logan acreditam que Jared, o pai da menina, ainda está vivo, e que existe um conspiração do Comandante para não enviar alguém para resgatá-lo. Cada um a sua maneira vai tentar empreender uma busca, mas será que eles não conseguem realmente trabalhar juntos?

Fora toda a ótima história que C.J. Redwine criou desse futuro medieval-tecnológico-fantástico, uma das coisas que mais conquistou foi a alternância dos pontos de vista entre Logan e Rachel ao longo dos capítulos. Ver a história não só pela ótica da personagem principal mas também pela de seu parceiro é muito mais interessante nos quesitos de desenvolvimento dos personagens. Além do que eu costumo sentir falta da visão “masculina” das histórias. Como as personagens femininas tem sido a maioria dos protagonistas dos livros que leio, sinto falta de um pouco de “testosterona” guiando a narrativa. Ouvir o lado masculino (mesmo que “romantizado” pela visão feminina da autora) é sempre interessante.

Ter uma personagem tão forte e independente como Rachel também foi uma mudança de ares. Ela sabe se virar, não precisa de ninguém e quebra tudo antes de perguntar. Se coloca em situações arriscadas e, por ser muito rebelde, bate de frente com o sistema de sua cidade e com o Comandante o tempo todo, colocando inclusive a vida de Logan em perigo. Rachel até tem momentos mais fragilizados, mas sua personalidade forte é o que direciona boa parte da história.

Logan não fica muito atrás como personagem forte e interessante. Ele tem um passado na cidade de Baalboden e Jared e Rachel são as únicas pessoas que pode considerar família. Quando ele passa a ter que tomar conta de Rachel, seus sentimentos pela garota começam a ficar confusos, então ver seu raciocínio e descobertas sobre si mesmo em seus capítulos foi ótimo!

Além disso, a construção do relacionamento de Rachel e Logan é uma das forças motrizes da história e como eles se apoiam e crescem e sofrem e lutam, torna toda a jornada dos dois muito mais prazerosa de acompanhar. A estrutura social desse mundo futurista, as implicações políticas entre as cidades e o Maldito também são bem desenvolvidos e envolventes, criando um bom pano de fundo para toda a história de Rachel e Logan.

Desafio termina com questões não resolvidas e pontas soltas muito interessantes. E aquela sensação de que “ainda bem” a série já está completa lá fora. Isso significa que a continuação pode chegar mais rápido por aqui! ^.~


Até a próxima! o/

banner-resenha-novo-conceito

Você também vai gostar

4 Comentários

  • Responder Gabi 17 out 2014 at 09:43

    Aaaaah…estou louca pra ler esse livro. Mas só saiu 1! E eu sei que se eu começar a ler, vou querer ler o restante da série o quanto antes! Esse negocio de esperar 1 ano ou mais pela continuação é um saco neh?!
    O livro está como prioridade na minha pilha dos não lidos (que alias, está enorme!).
    E eu nao vi a cidade na capa! Que horror! Nao acredito que deixei passar essa! rs

    • Responder Samara Maima 17 out 2014 at 16:19

      Oi Gabi!

      Não é difícil de achar a cidade?! ^.^ Eu achava que como a série já está completa lá fora, a Novo Conceito podia fazer um plano para lançar um volume a cada três meses, como a Saída de Emergência tem tentado fazer com seus livros.

      Eu ficaria muito satisfeita se fosse assim. Porque você não esquece tanto a história, não é? Um ano de diferença entre os lançamentos atrapalha muito porque você acaba perdendo o fio da meada…

      E eu bem te entendo quanto a pilhas enormes de livros não lidos… u.u

  • Responder leciteresinha 30 set 2014 at 20:35

    LIVRO MUITO BOM , RESENHA DEZ, GOSTARIA MUITO SE SABER O FINAL DO LIVRO.

  • Responder Elis Culceag 29 set 2014 at 20:15

    Oi Samara!
    Menina, que vergonha, eu li o livro e não tinha visto a tal cidade na capa o.O
    Adorei o enredo, e amei a forma como a autora conduziu o relacionamento da Rachel e do Logan. Também sou super à favor da narrativa dividida entre os protagonistas e mal vejo a hora de ler o próximo volume.
    Beijos… Elis Culceag. * http://www.arquivopassional.com *

  • Deixe uma resposta