resenha

O Oráculo Oculto – Rick Riordan

15 jul 2016
Informações

O Oráculo Oculto

Rick Riordan

intrínseca

série As Provações de Apolo #1

304 páginas | 2016

4.5

Design 5

História 4

10

Compre! Amazon

Como você pune um deus imortal? Transformando-o em humano, claro! Depois de despertar a fúria de Zeus por causa da guerra com Gaia, Apolo é expulso do Olimpo e vai parar na Terra, mais precisamente em uma caçamba de lixo em um beco sujo de Nova York. Fraco e desorientado, ele agora é Lester Papadopoulos, um adolescente mortal com cabelo encaracolado, espinhas e sem abdome tanquinho. Sem seus poderes, a divindade de quatro mil anos terá que descobrir como sobreviver no mundo moderno e o que fazer para cair novamente nas graças de Zeus.

O problema é que isso não vai ser tão fácil. Apolo tem inimigos para todos os gostos: deuses, monstros e até mortais. Com a ajuda de Meg McCaffrey, uma semideusa sem-teto e maltrapilha, e Percy Jackson, ele chega ao Acampamento Meio-Sangue em busca de ajuda, mas acaba se deparando com ainda mais problemas. Vários semideuses estão desaparecidos e o Oráculo de Delfos, a fonte de profecias, está na mais completa escuridão.

Agora, o ex-deus terá que solucionar esses mistérios, recuperar o oráculo e, mais importante, voltar a ser o imortal belo e gracioso que todos amam.

design

Já falei em várias resenhas do tio Rick sobre o projeto gráfico que a Intrínseca criou para seus livros. Obviamente que eles aqui criaram uma nova identidade para o posicionamento dos elementos na capa, para o lettering do título/logo, usaram soft touch como acabamento… Mas a ilustração na capa segue o mesmo estilo de praticamente todos os livros já lançados do autor.

Então, vocês podem ir na resenha de A Espada do Verão, por exemplo, e ler minha opinião babando ovo para o projeto gráfico como um todo. ^.~


história

Rick Riordan já passeou bastante nas mitologias “clássicas”. Começando com os gregos, foi para os egípcios, passeou pelos romanos, começou uma nova série sobre os nórdicos, e agora está de volta aos gregos com O Oráculo Oculto (ou O³ XD).

Confesso que no livro anterior, onde contou a história de Magnus Chase, eu tive problemas de diferenciar a voz do personagem da de Percy Jackson. Rick Riordan criou um personagem tão forte icônico que às vezes penso que ele não conseguiu encontrar direito uma forma de contar uma nova história em primeira pessoa sem escorregar para a voz de Percy.

Então eu fiquei um pouco receosa do que ia encontrar em O³. Será que Apolo também seria uma nova versão de Percy, ou Riordan conseguiria dar personalidade suficiente para o ex-deus?

Para minha felicidade, sim! Apolo/Lester Papadopoulos tem uma voz e personalidade próprias durante toda sua história. Ele é um pouco irônico e sarcástico como Percy, mas com os dois juntos em cena, você percebe como são diferentes. Apolo é egocêntrico, metido, abusado e vários outros adjetivos que enalteçam sua “superioridade” perante os humanos. E ao longo da história é interessante perceber como, agora que está preso em um corpo completamente humano, ele finalmente tem a chance de evoluir e melhorar, coisa que em sua persona “deusística” simplesmente não seria possível.

Já disse várias vezes que meu personagem favorito de todas as séries de Riordan definitivamente é Percy e um dos motivos para eu querer tanto ler O³ era pela participação dele. Pena que ele só aparece para introduzir o início da jornada de Apolo e depois como uma “muleta” no final do livro.

Confesso que fiquei um pouco confusa sobre o motivo de Apolo ter sido expulso do Olimpo. Ele dá a entender como se fosse um castigo pelos acontecimento da guerra contra Gaia mas, assim…, faz bastante tempo que eu li a série Os Heróis do Olimpo (que tem resenhas aqui, aqui e aqui), então mesmo com as explicações meio jogadas que Apolo dá para justificar algumas coisas, eu não lembrava direito do que tinha acontecido. Talvez se tivesse um “previously on” para ajudar o leitor a se situar dentro do contexto, isso melhoraria meu certo desconforto no início da história.

A história é interessante. Tem a apresentação de uma nova semideusa, Meg, que faz companhia à Apolo em sua busca pelo acampamento meio-sangue e nas provações seguinte. Riordan constrói uma trama que aparentemente deve juntar as duas séries anteriores e criar uma explicação para tudo o que aconteceu nelas. A ideia é que existe toda uma conspiração por trás de todos os acontecimentos que afetaram os semideuses e que, de certa forma, foram premeditados para que os vilões conseguissem alcançar o que desejavam agora na série de Apolo. O “problema”? Acho que para aproveitar de verdade, eu teria que esperar que a As Provações de Apolo fosse toda lançada e aí sim, começar a ler as três séries em sequência.

Agora, um comentário sobre o estilo de Riordan. Todo mundo já percebeu qual é o método que o autor usa em todos os seus livros. É uma fórmula que funciona, consegue criar dinâmica para história, consegue criar situações que vão do engraçado ao tenso/angustiante, com os subplots/subquests acontecendo para culminar em uma batalha final. Independente de qual personagens está contando a história, independente de qual série você está lendo. Funciona, mas confesso que está cansando um pouco. Eu provavelmente não vou parar de ler o autor, porque ele trata de um assunto que eu adoro que é mitologia, com um estilo que me diverte e me envolve. Mas só é um pouco cansativo perceber que ele não vai além daquilo que ele já consolidou como seguro para suas histórias.

Gostei de Apolo, seus haicais de aberturas de capítulo sintetizam todo o sentimento e trama que você vai experimentar daquele ponto em diante, e sua personalidade é irritante e engraçada ao mesmo tempo. Obviamente vou continuar acompanhando suas provações porque, apesar de reclamar, eu sou fissurada em praticamente tudo que o Riordan já lançou, e se tiver o Percy… aí, já me ganhou de qualquer jeito.


Até a próxima! o/

Onde comprar: Amazon (compras feitas através do link geram uma pequena comissão ao blog ^.~)

banners-resenha-intrinseca2016

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta