resenha

um desejo selvagem – Sylvia Day

13 maio 2014
Informações

um desejo selvagem

sylvia day

paralela

série renegade angels #2

280 páginas | 2014

4.25

Design 4

História 4.5

Um desejo selvagem é o segundo livro da série Renegade Angels, de Sylvia Day. Enquanto os leitores esperam o fim da série Crossfire, eles vão adorar se envolver com a paixão selvagem de Vash e Elijah. Neste segundo livro da série, Vash, a segunda vampira mais importante do mundo, e Elijah, líder dos licanos, assumem o papel central. Além de serem representantes de duas espécies que sempre se perseguiram, Elijah e Vash se odeiam, mas são obrigados a se aproximar em busca de parceria numa guerra contra os anjos. O único problema é que o ódio entre eles vai se transformando em uma paixão incontrolável. Vash, uma mulher dura e determinada, perde a concentração nas lutas, passa a ter ciúmes e a não controlar mais seus sentimentos, enquanto Elijah parece decidido a conquistá-la, usando os mais tentadores artifícios.

design

Mantenho todas as considerações que fiz na primeira resenha de Um Toque de Vermelho (que você pode ler aqui ó). Só quero acrescentar o seguinte: lembram que eu comentei que tinha um adesivo colado na capa do primeiro livro? Pois é, em Um Desejo Selvagem ele foi incorporado à arte da capa e agora é um ponto gigante e vermelho que atrapalha o foco de informação… =/ Editoras! Coloquem essas informações na quarta-capa, por favor. Uma boa capa VAI fazer com que o leitor pegue o livro na mão e leia a sinopse na quarta-capa, então vocês podem estourar na cara dele em letras garrafais qualquer informação adicional lá. T_T

Quanto as cerejas, leiam o livro e tudo vai fazer sentido. ^.~


história

Um Desejo Selvagem continua a história praticamente de onde Um Toque de Vermelho terminou. A diferença aqui são os personagens principais que vão guiar a maior parte da história e uma preocupação maior com o desenvolvimento da narrativa. Saem Adrian e Lindsay e entram Elijah e Vashti. Não que os outros personagens apresentados no primeiro volume não apareçam durante a história (um medo que tive e comentei na resenha), mas o foco principal muda.

Elijah é um dos licanos que estava sob a responsabilidade de Adrian e ele sobressaía por ser um dos únicos Alfas ativos atualmente. Licanos alfas costumavam ser separados das matilhas, uma vez que eles tem uma forte presença de liderança, e a última coisa que os Sentinelas precisavam era que eles se organizassem ou tentassem algum tipo de rebelião. Só que Elijah acaba sendo arrastado para o olho do furacão quando seus amigos tramam e realizam uma revolta para sair do julgo dos anjos.

Vashti é a tenente e braço direito de Syre, o líder dos vampiros. Uma Caída absurdamente sensual que está de luto desde o assassinato de seu companheiro por um bando de licanos. Um de seus principais  motivos de vida é encontrar os responsáveis pela morte de Charron e conseguir sua vingança. Que se torna ainda mais próxima quando Syre lhe pede para encontrar os licanos revoltosos e propor uma aliança. O vírus espectral está causando cada vez mais mortes e os vampiros precisam de pessoal que possa realizar buscas e pesquisas durante o dia, tornando os licanos a melhor resposta para essa necessidade.

Elijah e Vashti já haviam se encontrado no livro anterior, quando Lindsay persegue a ruiva, mas é aqui que o circo vai pegar fogo entre o licano e a vampira. Preciso dizer que achei a química e o desenvolver da relação entre os dois muito mais interessante (e ainda mais quente) do que a de Adrian e Lindsay. O romance deles era muito baseado na culpa/obrigação/destino e no “não vou ficar com você para não tentá-lo”… Elijah e Vashti é muito mais a coisa erótica e bruta da atração física que se torna aquele “algo a mais”. Inclusive existem mais cenas quentes entre os personagens do que em Um Toque de Vermelho. Acho que até por isso a autora reservou um capítulo só para Adrian e Lindsay “tirarem o atraso”.

A história em si também é mais interessante e dinâmica, Sylvia Day não perde muito tempo traçando o background de alguns personagens e situações. Por isso, prepare-se um pouco para o “aceita aí”. Aqui além de explorar a relação entre os personagens principais, que se alternam como POV, a autora desenvolve ainda mais a trama, incluindo mais informações sobre as três facções, sobre o vírus que está dizimando os vampiros, e começa a esboçar a possibilidade de que existe muito mais por trás das cortinas do que os próprios líderes imaginam. Talvez Adrian e Syre não tinham tanto controle assim de seus subordinados…

Tem um pouco daquelas questões que podem incomodar alguns leitores, já que um dos personagens se apaixona e cria um efeito em cascata de que todo mundo começa a encontrar seus companheiros de vida. Eu gosto dessa temática e exerço o meu poder de suspensão de descrença para simplesmente aceitar que, o que aconteceu antes do primeiro livro não deve ser assim tãaaao importante, fora a contextualização dos personagens.

Um Desejo Selvagem é um livro bastante rápido e envolvente, acrescenta muito mais ao que já havia sido construído em Um Toque de Vermelho, e deixa o final em aberto de um jeito que enlouquece por não ter o seguinte já disponível para ler. Definitivamente Sylvia Day me ganhou com esta série.

FiKDiK: vale a pena ler o e-book gratuito que a Paralela disponibilizou chamado Um Beijo Selvagem (tem na amazon). Ele acontece antes de Um Toque de Vermelho e Um Desejo Selvagem, e tem informações que vão ajudar a entender cenas do segundo livro.


Até a próxima! o/

banner-resenha-bcl

Você também vai gostar

1 comentário

  • Responder janaina 2 set 2015 at 12:54

    amei demais toque de vermelho e desejo selvagem, vc sabe quando sai o tereceiro? vi na net em ebook mas nao esta disponivel.

  • Deixe uma resposta