resenha

Fogo – Maya Banks

19 mar 2014
Informações

Fogo

Maya Banks

quinta essência / leya

série Breathless #3

352 páginas | 2014

4

Design 4.5

História 3.5

18

Compre! Amazon

Ash, Jace e Gabe: três dos homens mais ricos e poderosos do país. Eles estão acostumados a conseguir tudo o que querem. Absolutamente tudo. O que Ash procura é uma mulher que mude o que ele sabe sobre desejo e dominação. Quando se trata de sexo, Ash McIntyre sempre explorou seu lado mais selvagem – extremo e sem compromisso. Ele exige estar no controle. E prefere mulheres que queiram as coisas desse jeito. Inclusive as que ele dividiu com seu melhor amigo, Jace. Mas Jace está envolvido com uma mulher que não pretende dividir. E até mesmo Gabe está em um relacionamento no qual tem tudo de que precisa, deixando Ash com uma sensação de cansaço e vazio. É então que Ash conhece Josie, uma mulher que aparenta ser imune aos seus encantos e à sua riqueza. Intrigado, ele dá início a uma perseguição implacável, determinado a não deixar que ela seja a primeira a escapar. Ele jamais poderia imaginar que a primeira mulher a lhe dizer “não” seria também a única a levá-lo aos limites do desejo.

Design

Finalmente vou poder contar para vocês um pouco do projeto gráfico da série. Os dois livros anteriores eu li em cópias digitais, mas Fogo chegou para mim através da parceria com o LeYtoras.

Vou dizer que apesar de ficar meio sujo no final, gostei muito da experiência de um livro com boa parte de sua arte em branco. A capa segue as ilustrações originais da série, mas fora essa de Fogo, não entendi muito bem o que as imagens abstratas dos anteriores tem a ver com os respectivos títulos.

Acho muito bonito essa utilização de fontes sans-serif em todos os elementos tipográficos da capa. Como eu falei nos livros de Abbi Glines, acho que esse estilo dá uma sensação bem forte de modernidade, e já que estamos falando de livros contemporâneos, é uma ótima escolha. A capa tem uma laminação fosca para proteger o papel e aplicação de verniz localizado no título e nome da autora. Sinto um pouco de falta da sinopse na quarta-capa, não gosto muito quando se dá tanto espaço para quotes, principalmente se são de veículos estrangeiros que nem sempre temos acesso/conhecemos.

É uma pena que na lombada não haja nenhuma marcação de qual é a ordem de leitura, poderia ter um “volume 3”  ou “III” só para ajudar na organização da estante.

O miolo é correto e bonito. As aberturas de capítulo usam a mesma fonte condensada e sans-serif da capa, além de a primeira frase ter uma fonte diferenciada também. A mancha gráfica ocupa adequadamente a página, com tamanho de fonte e entrelinhas muito bons e arejados. A fonte também é muito boa com bastante legibilidade e de fácil interligação visual. O projeto conta ainda com cabeçalho descentralizado para o título e nome da autora e paginação no rodapé.

Além disso, é um livro da LeYa o que significa que apesar das 352 páginas, ele não vai ser pesado para carregar no transporte público.


história

E vamos lá para o último homem-probleminha da trilogia de Maya Banks! o/

Confesso que eu esperava mais de Ash. Maya Banks vende o personagem como sendo o mais “esquisito” e dominador dos três, mas no fim das contas não foi bem isso que eu percebi em Ash. Na verdade ele até me deixou um tanto confusa quanto a todo esse lance de dominação.

Depois que o universo juntou seus dois amigos e sócios com suas contrapartes cósmicas (ui, fui longe) Ash está feliz por eles ao mesmo tempo que começa a se questionar se não é a sua vez de se assentar. Se também não está faltando em sua vida sua cara metade, uma pessoa para juntar as escovas de dentes, e que esteja disposta a dividir suas… ahn… necessidades.

Em um parque seu olhar é atraído por uma bela mulher sentada desenhando. Quando ele se aproxima, percebe que ele era o objeto de sua ilustração e que a mulher é extremamente bonita. O que mais lhe chama a atenção é a coleira em seu pescoço que, apesar de ser um símbolo de submissão, não tem nada a ver com o que ele enxerga da personalidade da moça.

Josie é uma artista, com contas a pagar e sem dinheiro. Depois de seu encontro com Ash no parque, várias dúvidas sobre seu relacionamento atual começam a mexer com seus sentimentos e o homem bonito que encontrou não sai da sua cabeça. Ash faz uma pesquisa sobre Josie e compra todos seus quadros que estavam à venda em uma pequena galeria além das jóias que ela penhorou para pagar o aluguel.

De posse do tesouro de Josie, Ash encontra o meio de finalmente se aproximar e conquistar seu interesse. Ele quer a moça para si, e fará de tudo para que ela seja sua.

Maya Banks constrói um bom final para sua série, mas dos três rapazes continuo gostando mais de Jace. Ash era para ser o mais “pervertido” dos três e para mim ficou parecendo o mais “tranquilo”. Ele é extremamente direto com Josie, abrindo desde o começo como será o relacionamento dos dois inclusive avisando sobre o relacionamento que costumava ter com Jace. Maya Banks continua com descrições bastante intensas das cenas de sexo, mas a sensação de vergonha alheia pelos diálogos entre os personagens no “durante” continua. São frases que soam muitas vezes forçadas e, mais do que esquentar o clima, só me fazem ter vontade de rir.

Novamente a autora explora uma necessidade de deixar suas personagens femininas bêbadas, como se isso fosse um diferencial especialmente importante em um relacionamento, e confesso, são os capítulos mais bizarros de leitura.

Pelo menos ela soube investir um pouco na trama e puxa uma situação do primeiro livro para ser resolvida aqui, às custas da nossa heroína atual. O clímax da história dá uma certa irritação pelas reações de Josie e Ash, mas a solução final é um pouco corrida.

Com um pouco de moral duvidosa, Maya Banks consegue fechar “a novela” Breathless adequadamente, com redenção e satisfação para todos os personagens. Gostei de conhecer os livros da autora e adoraria ler mais de suas séries.


Até a próxima! o/

banner-resenha-leitoras

Você também vai gostar

2 Comentários

  • Responder Babi Lorentz 21 mar 2014 at 16:14

    Estou lendo Fogo e conhecendo o Ash. Não sei ainda se ele é tudo o que eu espero que seja, mas só poderei mesmo confirmar isso ao final da leitura. Ainda tenho o Gabe como preferido, de qualquer forma.
    Beijos.

    • Responder Samara Maima 21 mar 2014 at 16:34

      Ainda bem que o seu preferido é o Gabe, aí a gente não tem que brigar! XD Eu acho que você vai curtir a leitura, Babi. Mas se o você prefere o Gabe, provavelmente tem o primeiro livro como favorito. Não acho que Fogo vai conseguir desbancar o lugar de Obsessão no seu coração. ^.~

    Deixe uma resposta