Pesquisa de satisfação e levantamento sobre os leitores do Parafraseando Livros

Olá, Pessoas. Fechando mês de março, tem PROMOÇÃO E PESQUISA pra vocês!

pesquisa-satisfacao_2017

O blog fez 7 anos e eu queria conhecer melhor todos os leitores que puderem e quiserem participar de uma pesquisa de opinião.

Funciona assim:

  • Responda à pesquisa abaixo (continue lendo que você chega no formulário);
  • Todas as informações sobre como participar da promoção valendo um exemplar de “A Canção do Sangue”(da LeYa Brasil) estão nas instruções do questionário.
  • Divulgue/Compartilhe com seus amigos que você acredite que conheçam o blog

Sei que todo mundo gosta de uma promoção, mas ficaria MUITO AGRADECIDA se as respostas ao questionário fossem o mais sinceras e honestas dentro do possível. Lembre que o sorteio é o meu obrigada por você ser um seguidor e por querer me ajudar a produzir um conteúdo que agrade ainda mais a você.

Participe da promoção, mas me ajude a ser melhor, combinado? ^.~

Vou deixar o formulário aberto até 21/4, podendo estender o prazo dependendo do número de participantes/respondentes.

Obrigada por tudo, participem, e boa sorte! o/

#12em2017

Começo de ano costuma significar aquele momento quando definimos metas de vida, né? Emagrecer, guardar dinheiro, estudar, quantidade de livros para ler…

Em 2015 eu tentei participar de um desafio literário de ler livros de gêneros/temas específicos ao longo do ano. É óbvio que falhei miseravelmente em completar o desafio, mas eu acho interessante colocar algumas metas de leitura, além dos 60 livros que gostaria de ler em 2017.

Por isso, tcharan! Aqui estou eu criando objetivos de leitura (que vou tentar cumprir, mas né, no pressure). A ideia é tentar ler 12 livros em 2017, livros específicos que eu já tenho aqui em casa, novos ou antigos, mas que se eu não me forçar a pegar, é provável que eles demorem a entrar na minha fila de leitura. Acaba que eu sempre priorizo os livros de parceria e vou deixando os livros que comprei meio de lado.

Além do fator “já tenho em casa”, escolhi livros que fossem sci-fi ou fantasia, que dessem continuidade ou fechassem uma série, de autores que nunca li nada, ou de autores que eu estava com saudade de ler, e ainda encaixei uma releitura (porque não basta ter trocentos livros novos pra ler… eu ainda preciso reler coisas, não é mesmo?!).

Vamos à lista! Os livros estão por ordem alfabética das editoras e não representam necessariamente qual vou pegar primeiro, ok?

  • Encontro com rama - arthur c. clark
  • a mão esquerda da escuridão - ursula k. le guin
  • o evangelho segundo jesus cristo - josé saramago
  • confissões do crematório - caitlin doughty
  • trono de vidro - sarah j. maas
  • o último guardião - eoin colfer
  • todo dia - david levithan
  • a sombra da serpente - rick riordan
  • filhos do fim do mundo - fabio m. barreto
  • a magia da alvorada - s.l. farrell
  • o pistoleiro - stephen king
  • anjos da morte - eduardo spohr

Vou colocar um banner na coluna de apoio do blog com uma chamada para esse post. Aí eu atualizo conforme for lendo e publicando resenhas. ^.~

E você? Tem alguma meta que gostaria de realizar em 2017?

Até a próxima! o/

Quem é seu delz agora?! XD

Desde que me conheço por gente eu gosto de mitologia grega, e minha deusa favorita sempre foi Ártemis, a deusa da lua e da caça. Acho que a independência, força, e determinação da deusa sempre me impressionaram como características que eu gostaria de ter. E ela tem um arco maneiro também! \o/

Entretanto, Ártemis tem algumas questões que sempre me deixavam incomodada… suas seguidoras tinham que ser virgens e não podiam se relacionar com homens. Não podiam amar ou casar com um carinha. Além disso, por ser uma deusa virginal, Ártemis nunca teria filhos, então não tinha como desejar ser filha dela. Assim, eu queria ser como Ártemis, mas né… tava difícil.

Então fui tentar pensar em qual outro deus eu acharia legal ser meu pai ou minha mãe e, olha, levando em consideração o número GIGANTESCO de opções, fica quase difícil de escolher um só. Gosto de Poseidon, por ser o deus dos oceanos e dos terremotos; de Nêmesis, por ser a deusa da justiça divina e vingança; de Athena, por ser deusa da sabedoria e da guerra…

Aí tive a super ideia de perguntar pro Google, o grande oráculo do século XXI, se existia um teste maneiro que dissesse quem seria meu pai/minha mãe na mitologia grega. E não é que tinha um teste prontinho para descobrir meu progenitor olímpico?! \o/

Obviamente, não resisti e fui fazer o teste e, apesar de ter me surpreendido um pouco com o resultado, acho que está bem próximo da realidade! Conheçam meu papai do Olimpo! (Obviamente fui procurar uma ilustração de Hades gato, né? Por que ele não precisa ser o demonho, não é mesmo?!)


Hades

Hades: deus dos mortos e da riqueza, Senhor do Submundo

Os filhos de Hades normalmente são isolados e acostumados a fazer coisas sozinhos. Sua existência solitária faz você suscetível a ser muito cauteloso com estranhos, e enquanto você aprecia e anseia por gentileza e atenção, você pode se sentir ofendido já que acredita que não precisa de nenhum tratamento especial. Crianças de Hades parecem calmas e quietas, mas podem ser impulsivas com alegria, amor ou raiva em certas situações. Como Hades supervisiona a lei e a conduta, os filhos de Hades tendem a ter um conjunto definido do que é moralmente aceitável e requerem muita ajuda para mudar suas perspectivas. Você é extremamente protetor do pequeno círculo de pessoas que você confia, e qualquer insulto contra eles é um insulto contra você, que não vai ser esquecido tão cedo. Apesar de ser honrado, incompreendido, leal, inteligente e trabalhador, filhos de Hades também pode ter um lado mais escuro, distorcendo essas características em astúcia, crueldade e desonestidade. Mais frequentemente do que não, o bem domina o mal, e as crianças de Hades operam em áreas cinzentas para garantir que alcancem seu resultado final.

Qualidades
Solidão, inteligência, diligência, proteção, honra, lealdade, amargura, astúcia


Se você também quiser saber o seu deus é muito fácil! É só acessar o teste The Greek Godly Parent Quiz e responder as 33 perguntas. O único porém é que o site é em inglês, então qualquer coisa você pede ajuda para o Google Translator se ficar em dúvida sobre o significado de alguma das palavras. ^.~

Depois volta aqui e me conta “quem é seu delz agora”!


Esse é o terceiro post da #SemanaEspecialRickRiordan e eu já postei os seguintes conteúdos:

Até a próxima! o/

(Artes no post: Ártemis de Sedone Thongvilay | Hades e Perséfone de Alexandra V. Bach)

Semana Especial – Toda a luz que não podemos ver – Intrínseca

A Intrínseca convidou seus parceiros para participar de uma semana especial sobre o livro Toda a luz que não podemos ver, de Anthony Doerr. Cada dia dessa semana foi voltado para falar um pouco sobre vários assuntos voltados para a história do livro.

Algumas informações interessantes sobre Toda a luz (…). O livro foi o vencedor do prêmio Pulitzer de 2015 e no Goodreads foi o vencedor do Goodreads Choice 2014, no quesito Ficção Histórica. Além disso, sua nota de avaliação é maior que 4.2 estrelas e já tem mais de 28 mil resenhas sobre o livro.

E eu aqui me perguntando por que mesmo eu ainda não consegui pegar para ler… (talvez as 528 páginas e o tema de guerra esteja me assustando um pouco)

A edição da Intrínseca chegou para mim de em um kit estupendo que eu já mostrei para vocês mas faço questão de colocar a imagem de novo.

toda luz que não podemos ver - anthony doerr

E tem softtouch! <3

Mas vamos à minha participação na semana! Como o livro é ambientado no pós e no durante da Segunda Guerra Mundial, vou fazer uma pequena listinha de livros que já li ou tenho vontade de ler e que desenvolvam uma história nesse mesmo período histórico. Acho que já comentei, mas tenho um pouco de dificuldade com histórias de guerras em geral. Acho que normalmente os livros que tratam desse assunto são muito sofridos e tendo a fugir um pouco deles. Mas isso não me impede de ter interesse pelo autor ou pelo plot que pode ser construído.


Vou começar pelos livros que eu ainda não li, mas estão na minha lista de “quero dar uma olhada”. ^.~

As Espiãs do Dia D - Ken FollettAs Espiãs do Dia D [skoob/goodreads] – Ken Follett

Ken Follett é um daqueles autores de livros chaprocas históricos que eu tenho muita curiosidade de ler desde que conheci Pilares da Terra. O autor escreve ficção histórica e já ouvi muitos elogios ao seu estilo, à qualidade das suas histórias e pesquisa para ambientar seus personagens. Ele tem muitos livros em série, como a recente Trilogia do Século, que acompanha várias gerações de famílias ao longo do século XX. Na verdade o segundo livro desta série se encaixaria na minha listinha, mas preferi escolher um stand alone do autor.

As Espiãs do Dia D conta a história de um grupo de mulheres que precisou invadir uma central de comunicação nazista para impedir o avanço do terceiro reich. Em tempos de empoderamento feminino, não há nada mais justo do que o colocar a possibilidade do fim da guerra nas mãos desse grupo de mulheres.

o rouxinol - kristin hannahO Rouxinol [skoob/goodreads] – Kristin Hannah

Lançamento de novembro da Arqueiro, o mais novo livro de Kristin Hannah conta a história de duas irmãs francesas, durante a Segunda Guerra Mundial. Cada uma tem crenças diferentes em como enfrentar a invasão de seu país pelos nazistas.

O livro lançado em fevereiro (lá fora), tem uma nota muito boa no Goodreads, mais de 4.5 estrelinhas, e já recebeu mais de 11 mil resenhas, inclusive de uma blogueira inglesa que acompanho, gosto e respeito muito. Você pode ler a opinião dela (em inglês) em sua review aqui.

Uma curiosidade. No encontro de livreiros e blogueiros da Sextante/Arqueiro foi dito que a arte em amarelo na capa aqui do lado, na versão impressa na verdade é um hotstamping de dourado! *0*

Anjos da Morte - Eduardo SpohrAnjos da Morte [skoob/goodreads] – Filhos do Éden #2 – Eduardo Spohr

Vamos colocar um pouco de fantasia nessa mistura de contemporaneidades. No segundo livro da série Filhos do Éden, Eduardo Spohr coloca seus personagens como parte integrante e atuante de alguns momentos importantes e bélicos de nossa “civilização”, começando pelo período da Segunda Guerra Mundial e indo até 1989.

O livro mistura o passado e o presente com núcleos de diferentes personagens, além de manter a história embalada no universo angélico criado pelo autor brasileiro.

Anjos da Morte é um daqueles livros que eu já comprei mas ainda não li, e já estou indo atrás do último da trilogia que sai agora em novembro.

A Menina que roubava livros - Markus ZusakA Menina que roubava livros [skoob/goodreads] – Markus Zusak

Aqui eu preciso fazer uma confissão: nunca consegui terminar de ler A Menina que roubava livros. Há alguns anos, peguei o livro emprestado com minha cunhada e comecei a ler. Ele não me envolveu e eu deixei de lado lá pela página 20 ou 30, na expectativa de “daqui a pouco eu pego de novo”. Ele acabou ficando ali na estante, só me encarando, me lembrando da minha falta.

No começo do ano passado eu fui ver o filme em pré-estreia, e de certa forma, acredito que eu não conseguiria realmente terminar de ler. Ele já foi devidamente devolvido à dona (porque, afinal, eu não roubo livros :P), mas, se o livro refletir exatamente o que mostrou no filme, é um exemplo do que eu particularmente tentaria mas sofreria para terminar.


Agora, dois livro que li e resenhei aqui no blog, que também estão envoltos pelo período da Segundo Guerra Mundial.

A Garota que você deixou para trás - Jojo MoyesA Garota que você deixou para trás [skoob/goodreads] – Jojo Moyes

Acho que Jojo Moyes é campeã em escrever livros bonitos, tristes, envolventes e marcantes. Felizmente ele não foi tão destruidor de emoções quanto Como eu era antes de você.

A Garota (…) alterna a história entre o presente e o passado de duas mulheres, relacionadas por uma mesma pintura. No passado, acompanhamos Sophie enquanto sua casa é invadida pelos alemães, e ela passa a ser uma “empregada” dos vários oficiais que frequentam sua sala de estar.

É um romance forte, com personagens femininas interessantes e que mostra um outro lado da guerra, que não necessariamente tem a ver com bombas e tiros, mas que é da mesma forma triste e traumatizante.

Leia a resenha.

Entre o céu e a terra - Timotheé de FombelleEntre o Céu e a Terra [skoob/goodreads] – Vango #1 – Timothée de Fombelle

Vango na verdade se passa no período pré-guerra mas já dá para acompanhar a movimentação nazista ao longo da história. É um livro de aventura, de um jovem buscando respostas sobre o seu passado, mas que está envolto por personagens e situações que foram reais durante a década de 1930-40.

Como o foco não é na guerra em si, consegui me envolver bastante com o livro, por causa do ritmo quase frenético e pela boa contextualização e descrição da história de Vango.

Além disso tudo, é um dos livros mais bonitos que foram lançados esse ano (e que caíram na minha mão). ^.~

Leia a resenha.


Essas são minhas sugestões de leituras e preciso me comprometer a finalmente ler Toda luz que não podemos ver…

Até a próxima! o/

agosto foi um desgosto T^T

Férias Venimim! 2015

Não sei se vocês perceberam mas agosto foi um mês muito um pouco lento aqui no blog. Culpa do universo, da vida e tudo mais… ¯\_(ツ)_/¯

Parece que quando você vai tirar férias é igual a quando você vai fazer aniversário. O universo conspira para tornar as semanas que antecedem essas datas “especiais” em pequenos infernos diários.

Para mim foi começar uma nova pós-graduação e ficar cheia de apresentações para fazer; um projeto infindável no trabalho; e uma sequência de dias em que tive mal estar digestivo. Provável que fosse de alimentação não tão regrada acrescida do stress do trabalho. Nunca saberei ao certo.

Não falei nada sobre a Bienal, que sim!, eu vou. Quase não postei resenhas, apesar de continuar lendo a pequena pilha que ocupa um canto especial da minha escrivaninha. Voltei a atrasar os posts das novidades que chegaram lá em casa. Para vocês terem uma ideia, o meu “mundinho” de notificações do Facebook nunca baixava de 100+, ou seja, nem “prestar consultoria”  na rede social eu estava/estou conseguindo.

Mas eu não esqueci de vocês! A pequena culpa de não estar presente como eu costumava/gostaria está batendo aqui no fundinho do peito. Eu espero que as férias melhorem minha saúde, minha disposição e que as postagens voltem ao normal.

Depois posto no Instagram do blog a pequena pilha de livros que pretendo ler. \o/ Tem milhares páginas de fantasia com A Ascensão das Sombras, O Poço da Ascensão, A Filha do Império e As Trevas de Sethanon! Vários romances, contemporâneos e de época. Alguns Young Adults e outros dramas que tem a perspectiva de manter meus canais lacrimais limpos e hidratados. ^.~

Fora os livros que gostaria de comprar na Bienal. Vamos ver como vai ser este ano. ^.^

Então Pessoas. Desculpem o sumiço e obrigada por não abandonarem o blog e a fanpage.

Para compensar, mais tarde entra promoção no ar e ainda pretendo colocar mais outras duas ao longo de setembro!

Até a próxima! o/

terminei a dança dos dragões…

…e isto não é uma resenha, principalmente porque não fiz nenhuma ao longo de toda a série dAs Crônicas de Gelo e Fogo. É mais uma constatação de que, a saga dos Starks e Lannisters provavelmente é uma das mais longas que já li até o momento, e que ainda não terminou. Longa não em quantidade de livros lançados, mas em quantidade de páginas.

A Dança dos Dragões me tomou exatos 864 páginas e dois anos para ser lido. DOIS FUCKING ANOS! Sendo bem sincera, essas 864 páginas no tamanho das folhas e das fontes no livro se transformam facilmente no dobro em um projeto “normal”. Então a sensação é, sim, de ter atravessado longas 1.728 páginas de Westeros e Essos.

E por que dois anos, se os três primeiros livros foram mais rápidos? Acho que porque o quarto livro deu uma baixada na minha expectativa e envolvimento da história. Dos cinco livros, Festim dos Corvos é o mais lento e com os personagens principais que menos me envolveram, então perdi o ritmo. E não encontrei mais nem em A Dança dos Dragões, por mais que meus personagens favoritos tivessem capítulos ao longo da história.

Tudo bem que não foi só isso. A vida e as responsabilidades acontecem, sabem? Então como o livro não fazia parte das minhas leituras oficiais do blog, era uma escolha pessoal, eu sempre delegava para segundo plano…

Então, assim, consegui matar duas metas para 2015 (que acabei de inventar!): terminar A Dança dos Dragões e ainda antes de começar a quinta temporada da série da HBO! ACHIEVMENT UNLOCKED! \o/

congratulations-you-did-it

O problema é que não conheço ninguém para bater um papo esperto sobre os acontecimentos do último livro. Todos os amigos que estavam lendo a série cansaram e abandonaram ao longo do caminho. E cá estou eu, sem ter com quem conversar sobre os spoilers da série! T^T

Mas o lance todo desse post é mais para comentar sobre séries longas em quantidade de páginas/volumes. Acho que todo mundo deve sofrer com a questão de acompanhar séries enormes. Eu costumava fazer um post de avaliação da quantidade de séries que eu tinha em aberto/estava acompanhando quando o ano virava, mas chegou a um ponto tão assustador que bateu uma leve preguiça.

As Crônicas de Gelo e Fogo até o momento tem 3.640 páginas (na versão brasileira lançadas pela LeYa), e George R.R. Martin já comentou que Winds of Winter ia passar de 1.000. Sem fazer uma pesquisa muito profunda no Skoob, porque se eu for fazer algo assim não saio mais de lá, outras séries longas que leio/li são: Percy Jackson e derivados, Os Deixados para Trás, A Irmandade da Adaga Negra, Sookie Stackhouse, e House of Night. Com essa abertura para séries de fantasias, provavelmente A Roda do Tempo vai entrar para a lista de séries longas.

Muito bem, agora de volta à programação normal e à leitura dos últimos lançamentos das editoras. ^.^

Até a próxima! o/

2015 Reading Challenge – Vou Participar!

2015 Reading Challenge

Olá Pessoas! Estamos chegando ao finalzinho de janeiro, mas ainda é tempo de colocar e definir metas e objetivos de vida, não é?! \o/

Passeando pelas interwebs, mais especificamente perdida no giragira infinito do Pinterest (o blog tem um perfil lá, já conhece?), esbarrei em um pin muito sugestivo do site gringo PopSugar, convidando todo mundo a participar do Ultimate Reading Challenge! \o/ A lista foi inclusive replicada no 9Gag, então já viu como ficou famosa.

Nunca participei de desafios de leituras porque muitas vezes os temas mensais não me interessavam, ou não batiam com livros que eu já tinha em casa, ou eu simplesmente estava com preguiça. Só que a lista do PopSugar é relativamente genérica, não estipula quando você tem que ler o item e tem bastante opções. Segundo o texto do post, existem 50 “tarefas” a serem perseguidas ao longo do ano, o que equivaleria a um livro por semana (sendo que um dos itens da lista é “ler uma trilogia”, então completam as 52 semanas do ano).

Então, assim, vou tentar levar o Reading Challenge adiante. Sem cobranças, mais como um guia de possíveis leituras ao longo do ano. Você pode clicar aqui e baixar a versão original em pdf para imprimir e acompanhar sua evolução do desafio. Eu vou colocar o link deste post na coluna de apoio do blog para ficar de fácil acesso e atualizar as informações.

Para quem não tem tanta facilidade com inglês, coloco aqui a listagem dos 50 itens traduzidos porcamente por mim. Será que já consegui cumprir algum até agora? O.o

  • um livro com mais de 500 páginas [DONE! O Dragão Renascido – Robert Jordan – Ed. Intrínseca]
  • um romance clássico
  • um livro que virou filme [DONE! Como treinar o seu dragão – Cressida Cowell – Ed. Intrínseca]
  • um livro publicado este ano [DONE! Rush Sem Limites – Abbi Glines – Ed. Arqueiro]
  • um livro com um número no título [DONE! Infinito+Um – Amy Harmon – Ed. Verus]
  • um livro escrito por alguém com menos de 30 anos
  • um livro com personagens não-humanos [DONE! Pequenos Deuses – Terry Pratchett – Ed. Bertrand Brasil]
  • um livro engraçado
  • um livro escrito por uma mulher (melhor tradução que eu consegui para female author) [DONE! Simples Perfeição – Abbi Glines – Ed. Arqueiro]
  • um mistério ou thriller [DONE! Caixa de Pássaros – Josh Malerman – Ed. Intrínseca]
  • um livro com um título de uma palavra [DONE! Ordem – Hugh Howey – Ed. Intrínseca]
  • um livro de histórias curtas
  • um livro que se passa em um país diferente [DONE! A Transformação de Raven – Sylvain Reynard – Ed. Arqueiro]
  • um livro de não-ficção
  • o primeiro livro de um autor popular
  • um livro de um autor que você adora mas que ainda não leu
  • um livro que um amigo recomendou [DONE! Fúria Vermelha – Pierce Brown – Ed. Globo, indicado pela Lygia do Brincando com Livros]
  • um livro vencedor do prêmio Pullitzer [DONE! O Sol é para todos – Harper Lee – Ed. José Olympio]
  • um livro baseado em fatos reais [DONE! A Febre – Megan Abbott – Ed. Intrínseca]
  • um livro que esteja no final da sua lista de “vou ler”
  • um livro que sua mãe adore
  • um livro que te assuste [DONE! Red Hill – Jamie McGuire – Ed. Verus]
  • um livro com mais de 100 anos de idade
    (aqui eu não sei se é o livro ser velho ou se é ele ter sido lançado há mais de 100 anos O.o)
  • um livro baseado inteiramente em sua capa
    (acho que deve ser uma escolha de livro pela capa, sem ler sinopse)
  • um livro que você deveria ter lido na escola mas nunca leu
  • um livro de memórias
  • um livro que você pode terminar em um dia [DONE! A Mais Pura Verdade – Dan Gemeinhart – Ed. Novo Conceito]
  • um livro com antônimos no título
    (antônimos: palavras de significados contrário, p.e: claro/escuro)
  • um livro que se passa em um lugar que você sempre quis visitar
  • um livro lançado no ano que você nasceu
  • um livro com avaliação ruim
  • uma trilogia
  • um livro da sua infância
  • um livro com um triângulo amoroso [DONE! Tensão – Gail McHugh – Ed. Arqueiro]
  • um livro que se passa no futuro [DONE! O Código Perdido – Kevin Emerson – Ed. Leya]
  • um livro que se passa durante o ensino médio (high school) [DONE! – A Playlist de Hayden – Michelle Falkoff – Ed. Novo Conceito]
  • um livro com uma cor no título
  • um livro que te faça chorar [DONE! Como um bebê… Mar da Tranquilidade – Katja Millay – Ed. Arqueiro]
  • um livro com magia [DONE! Sangue Mágico – Ilona Andrews – Ed. Saída de Emergência]
  • uma graphic novel
  • um livro de um autor que você nunca leu [DONE! Selva de Gafanhotos – Andrew Smith – Ed. Intrínseca]
  • um livro que você já tinha mas ainda não leu
  • um livro que se passa na sua cidade natal
  • um livro que foi originalmente escrito em outra língua [DONE! Vango: Entre o Céu e a Terra – Timothée de Fombelle – Ed. Melhoramentos]
  • um livro que se passa durante o natal [DONE! Confissões de Inverno – Brendan Kiely – Ed. Arqueiro]
  • um livro escrito por um autor que tenha suas iniciais
  • uma peça de teatro
  • um livro banido (se você precisa de uma ajuda, o blog da Estante Virtual tem uma lista)
  • um livro baseado em ou transformado em um seriado de TV [DONE! A Viajante do Tempo – Diana Gabaldon – Ed. Saída de Emergência]
  • um livro que você começou mas nunca terminou [DONE! A Dança dos Dragões (demorei 2 anos!) – George R.R. Martin – Ed. LeYa]

Minha dúvida fica em como proceder se um livro preencher mais de um requisito do desafio… eu corto vários de uma vez ou escolho um para eliminar da lista? O.o

Mais alguém vai seguir metas de leitura ao longo do ano? ^.^

fonte: PopSugar

Top 5 2014

Chegou aquele momento do ano que a gente faz uma retrospectiva de tudo o que aconteceu em 2014 e vê “no que deu”. No caso do blog, é o momento de rever os livros que eu li até o momento e fazer uma singela listinha dos TOP5 de 2014! \o/

Separei o post em algumas categorias e vocês podem me dizer se concordam ou quais seriam as suas escolhas. Engraçado é que olhando minha estante de lidos do ano, apesar de ter alcançado 70+ livros (segundo o Skoob), fiquei com a sensação de “podia ter feito melhor”. =/ Não me julguem, mas sei lá, ficaram faltando “só” 30 para alcançar 100… #maníaca

Vem comigo descobrir meus favoritos entre os lidos do ano! Só avisando que não coloquei ordem de preferência entre os selecionados e não necessariamente os livros foram lançados em 2014.

Favoritos dos favoritos de 2014

Esses foram os meus favoritos entre todos os livros e gêneros que eu li ao longo do ano. Não que tenha muita variedade, afinal sou relativamente previsível quanto às minhas preferências de leitura…

top5_favoritos1

top5_favoritos2


Melhores capas

Capas são o chamariz e o que pode convencer um leitor a comprar o livro. Esse ano foi recheado de capas muito bonitas, muitas fotográficas, algumas com um investimento em um trabalho visual muito mais tipográfico. Dos livros que li, a editora Saída de Emergência conseguiu emplacar duas capas visualmente interessantes, não só pelo layout, mas também pelo projeto físico do livro.

top5_capas1

top5_capas2


Melhores Carinhas

Escolher os personagens favoritos foi difícil, tanto para o rapazes quanto para as moças. Afinal a gente cria um certo relacionamento com eles ao longo de suas histórias. É quase como escolher entre seus melhores amigos… O.o

top5_carinhas1

top5_carinhas2


Melhores Mocinhas

Mesmo problema dos gatinhos, mas é um pouco mais fácil porque tem a questão da identificação. Gosto quando as protagonistas são femininas mas ao mesmo tempo ativas e não mocinhas em perigo.

top5_mocinhas1

top5_mocinhas2


Melhor Hot/Romance/New Adult

Juntei tudo em um item só, já que não tenho representantes suficiente para colocar separadamente. Em 2014 ficou claro para mim que eu adoro esses estilos de leitura, preciso de um livro mais “interessante” entre as leituras de fantasia e young adults para dar uma “animada”. Além disso, Sylvia Day tomando conta do top, já que agora quase todas as editoras tem sua cota da autora para lançar.

top5_hot1

top5_hot2


Melhor Fantasia/Sci-Fi

Mesmo caso do item anterior, não tinha contestantes suficientes separadamente. Fico pensando que eu queria ler mais Sci-Fi, então acho que em 2015 vou atrás do catálogo da Aleph, que é especializada basicamente em livros de ficção científica…

top5_fantasia1

top5_fantasia2


 Melhores Young Adults

Por incrível que pareça, li poucos young adults comparado com anos anteriores. Estarei ficando “vélea”? XD

top5_ya1

top5_ya2


Mais aguardados de 2015 (ou o que eu gostaria muito de ler em 2015)

O sexto volume das Crônicas de Gelo e Fogo, Winds of Winter, é uma promessa eterna pairando sobre nossas cabeças. Enquanto o bom velhinho Sr. George R.R. Martin não nos atualiza com uma previsão de publicação, eu consigo mais tempo para terminar de ler A Dança dos Dragões.

Outra promessa é a LeYa finalmente lançar o último volume da série de Charlaine Harris, Grave Secret. Preciso completar minha coleção e saber o que acontece com Harper Connelly e seu “irmão” Tolliver! >o<

Apesar de ainda não ter lido o terceiro livro dA Roda do Tempo, espero ansiosamente pelo lançamento dos volumes seguintes. Queria que o próximo, The Shadow Rising, chegasse no primeiro trimestre de 2015.

Gostei bastante do mundo criado por C.J. Redwine em Desafio, e espero que a Novo Conceito não demore muito para lançar as continuações. Se as duas saírem ano que vem vai ser muito bom!

E por último, Half Wild, a continuação de Half Bad de Sally Green está prevista para sair lá fora em março, vamos ver quanto tempo a Intrínseca vai demorar para trazer para cá.


Para fechar este post enooorme com minha seleção do ano deixo mais duas categorias que só tem um livro cada. Com vocês a Surpresa e a Decepção do ano!

Surpresa do ano

Como vale qualquer livro que li ao longo de 2014, escolhi um e-book em inglês que ainda não saiu por aqui. The Dare foi um achado/uma indicação ao terminar uma leitura e foi um dos livros mais divertidos do ano, que me fez ficar acordada lendo até 3h da manhã. Então o “prêmio” vai para o terceiro volume da série The Bet, da Rachel van Dyken.

The Dare - Rachel van Dyken


Decepção do ano

Tudo bem que eu não espero muito de Lauren Kate, não tenho uma recordação muito boa da autora depois de ler duas vezes Fallen e continuar com a mesma (má) impressão. Mas eu esperava que o plot interessante de Teardrop fosse redimir a autora, só que não… =/ Teardrop é fraco, e quase foi uma perda de tempo…

Teardrop - Lauren Kate


Esse foi o meu 2014. Que venha 2015 e uma meta maior de leitura! \o/ #loka

Até a próxima! o/

Semana Fantástica iD – Subgêneros de Fantasia

Semana Fantástica iD

Olá Pessoas! Estão acompanhando a semana sobre Fantasia aqui no blog? Já coloquei no ar um post abrangente sobre o que é Fantasia, duas resenhas de livros do gênero lançados pela iD, e hoje vocês vão conhecer um pouco sobre os subgêneros do estilo.

Não consegui encontrar nas interwebs um consenso sobre quais são os subgêneros de Fantasia que existem no mercado literário. Não achei um artigo da Universidade de Massaxucitz oficializando a listagem dos tipos possíveis de narrativas dentro do gênero de Fantasia. Até é compreensível, visto que a literatura é um “organismo” vivo e pode mudar e evoluir o tempo todo.

Então, vou criar uma sugestão não-oficial de subgêneros a partir da pesquisa que fiz no Oráculo, mantendo os termos em inglês para não correr o risco de fazer uma tradução/adaptação chumbrega, ok? Além disso, sempre que o estilo possuir livros publicados no Brasil vou colocá-los como exemplos para facilitar o entendimento.

Vem comigo! o/


Uma das fontes que encontrei divide a Fantasia em dois pilares: a High Fantasy e a Low Fantasy. Dentro deles se encaixariam todos os outros subgêneros mais conhecidos. Mas as outras colocavam todos os estilos no mesmo patamar, então vou seguir nessa linha de raciocínio. (os subgêneros estão em ordem alfabética)

Alternate World: envolvem mundos diferentes escondidos dentro ou em paralelo ao nosso. Antigamente, quando o planeta ainda não era totalmente mapeado, era possível encontrar histórias de terras misteriosas como no livro de Johnathan Swift, As Viagens de Gulliver. Depois, quando já tínhamos uma ideia mais concreta dos continentes, Lewis Carroll criou um mundo dentro de um espelho em Alice Através do Espelho.

Arhurian: são histórias contadas no mundo do Rei Artur, na lendária Camelot. Exemplos famosos são A Espada na Pedra, de T.H. White, e a saga As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley.

Bangsian: é relativa principalmente a um autor do século 19, John Bangs, e lida basicamente com histórias sobre o além-vida.

Celtic: é criada a partir do vasto conhecimento dos celtas, vindos principalmente, mas não somente, da Irlanda.

Christian: costuma ser um subgênero mais raro, em parte porque muitos “crentes” oficialmente intimidam toda a questão da fantasia, assim como os especialistas do gênero também o evitam. Muitas novelas de C.S. Lewis poderiam entrar nesta classificação.

Comedic: é um subgênero relacionado ao humou e/ou à sátira. Os livros de Terry Pratchett da série Discworld são um bom exemplo.

Contemporary: aqui as criaturas mágicas estão escondidas entre nós. Essas histórias são desenvolvidas nos tempos atuais, com situações estranhamente familiares. Os livros de Neil Gaiman, Deuses Americanos e Lugar Nenhum dão uma ideia do que é Contemporary Fantasy.

Court Intrigue: é um subgênero definido pelas histórias que acontecem em castelos da realeza, com algum viés histórico (mas com magia), ou em algum mundo alternativo. A série de George R.R. Martin, As Crônicas de Gelo e Fogo, é um bom exemplo do estilo.

Dark: suas histórias costumam se interligar e sobrepor com horror ou até mesmo com uma atmosfera mais gótica.

Dying Earth: é um pouco literal, e as histórias se desenvolvem no cenário do fim/destruição do planeta. Normalmente a humanidade é cercada por tédio e certa descrença, enquanto o mundo se desfaz. Apesar de a narrativa de George R.R. Martin em A Morte da Luz não se passar necessariamente na Terra, ela aborda o tema do fim de um planeta.

Erotic: como o nome diz, os livros contém um forte elemento sexual. Apesar de a série Trilogia das Jóias Negras, de Anne Bishop, ter uma forte aproximação com o estilo Dark, ela também poderia entrar nesta categoria.

Heroic: é centrada em um herói conquistador, ou um “bando” de heróis; ainda que eventualmente o esteriótipo do gênero heróico seja desenvolvido com vilões perdoáveis e protagonistas falhos.

High ou Epic: é considerada por muito leitores o coração e a essência do gênero de Fantasia. Mundos inteiros são criados, com longas histórias e estilos de vidas vívidos, além de uma longa lista de personagens. O Senhor do Anéis, obra máxima de Tolkien, domina completamente este subgênero. Outro bom exemplo é a série A Roda do Tempo, de Robert Jordan.

Historical Fantasy: é a resposta do gênero para a ficção histórica. Um período específico da história da Terra se torna o cenário, mas com elementos fantásticos misturados. Um bom exemplo é a série de Guy Gavriel Kay, Tigana.

Historical High Fantasy: é uma variação do subgênero Historical, em que as histórias são vastas e tão detalhadas que se assemelham à High Fantasy.

Juvenile: é uma categoria abrangente, que se sobrepõem com os gêneros Infantil e Young Adult, em que as histórias são escritas para uma audiência mais jovem. O Hobbit, de Tolkien, e O Mágico de Oz de L. Frank Baum são exemplos perfeitos.

Low Fantasy: também é uma categoria abrangente e descritiva. Suas histórias são escritas sem as paisagens arrebatadoras e o heroísmo mais sério em uma clara oposição, talvez não necessariamente consciente, do subgênero High Fantasy. Alguns ligam o estilo ao subgênero Sword & Sorcery. Em outra definição, Low Fantasy é visto como histórias que se passam em um cenário mais comum, com menos magia. 

Medieval: é definida por seu nome, e é um subgênero em que as histórias são desenvolvidas neste período, entre o “arcaico” ou o mundo Arturiano e  a era industrial moderna. Elas são repletas de cavaleiros e patifes, normalmente junto com feiticeiros e dragões. Muitos dos subgêneros de Fantasia, ambientados na Terra ou em qualquer outro mundo, possuem uma sensação “pseudomedieval”, com a descrição do cenário ou das vestimentas.

Mythic: é uma vasta categoria. Em geral as histórias são desenvolvidas em “nossa” Terra e incorporadas com mitos existentes. Os Filhos de Anansi, de Neil Gaiman, e toda a série de Percy Jackson, de Rick Riordan são ótimos exemplos deste estilo.

Quest: envolvem somente a realização de uma missão. É uma categoria descritiva, em que o protagonista está envolvido em alguma missão perigosa e envolvente. O livro A Primeira Regra do Mago, de Terry Goodkind é um bom exemplo desse tipo de subgênero. 

Romantic: é a incorporação dos temas que normalmente envolvem os gêneros Fantasia e Romance, normalmente são comercializados como “romance paranormal”.

Science Fantasy: é um subgênero onde a alta tecnologia costuma se sobrepor ou coincidir com elementes comuns à fantasia tradicional. A série Darkover, de Marion Zimmer Bradley é um exemplo <3 (sou apaixonada por essa série e sofro constantemente porque a Imago nunca terminou de publicar os livros da autora aqui…).

Steampunk: assim como o Science Fantasy, é um estilo que incorpora elementos tecnológicos com fantasia. A questão aqui é que a tecnologia é normalmente movida a vapor e pode ser capaz de feitos fantásticos, quase mágicos. O livro A Corte do Ar, de Stephen Hunt, é um exemplo icônico. Alma?, de Gail Carriger, também possui elementos steampunks na história.

Superhero: seja em filmes, quadrinhos ou em livros, personagens como Superman e Thor são familiares para muitos leitores. Alguns autores costumam criar seus próprios super-heróis, incorporando esteriótipos conhecidos. Os protagonistas podem receber suas habilidades especiais de magia, tecnologia ou qualquer outro artifício, e usualmente eles excedem qualquer coisa que a ciência acha plausível.

Sword & Sorcery: as histórias são incorporam o aspecto de ação ininterrupta relacionado com a fantasia, com “poderosos bárbaros” atravessando um campo sangrento em seus mundos “pseudomedievais”. Os livros de Robert E. Howard que contam as histórias de Conan são, talvez, os tomos fundadores do gênero.

Urban Fantasy: essas histórias são ambientados em um cenário moderno e urbano. Lobisomens vivem em estações abandonadas do metrô, ou fadas se escondem em pequenos espaços nos domitórios dos campus de faculdade. Os livros da série Sookie Stackhouse, de Charlaine Harris, são bons exemplos do estilo.

Vampire: originalmente este subgênero pertencia a categoria de horror, e muitos livros ainda se encaixam lá. Entretanto, muito livros recentes foram sobrepostos com os gêneros Romance e Young Adult, e suas histórias talvez se encaixem melhor na “seção” de Fantasia. Em geral, cada autor cria suas regras sobre o estilo de vida dos vampiros, suas habilidades e fraquezas. Exemplos icônicos do gênero são os livros Drácula, de Bram Stoker, e O Vampiro Lestat, de Anne Rice.


Ufa! Eu imaginava que existiam muitas classificações, mas não fazia ideia do volume real de possibilidades! O.O

Já pararam para pensar em qual dos subgêneros seus livros favoritos se enquadram? ^.~

Até a próxima! o/

fontes: Fantasy Subgenres, Wikipedia, Best Fantasy Books, Fantasy Fiction (1, 2), Book Country

Semana Fantástica iD – A Fantasia

Semana Fantástica iD

Bem-vindos à Semana Fantástica iD! Nos próximos dias vocês vão poder acompanhar posts sobre livros de fantasia lançados pela editora iD e também algumas informações sobre esse gênero pelo qual eu sou apaixonada, e que ganha cada vez mais espaço nas prateleiras das livrarias e das nossas estantes.

Venham comigo descobrir um pouco mais sobre a Fantasia! Que nossa jornada mágica comece! ^.^


O que é Fantasia na literatura?

A ficção fantástica pode ser definida pela presença de magia e elementos sobrenaturais em suas histórias. Apesar de a Fantasia dividir algumas características semelhantes com a Ficção Científica, o que no final as distingue é que a Fantasia não precisa ser cientificamente possível, mesmo se tratando de um futuro distante.

A Fantasia é caracterizada por uma construção intricada de “universo”, e normalmente suas histórias ocorrem na Terra ou em um mundo diferente, em nosso passado ou presente, ou em um momento fora do tempo. Os mundos de Fantasia são populados por seres e criaturas míticas (dragões, unicórnios, elfos…) e/ou paranormais (vampiros, lobisomens, metamorfos…).

As narrativas normalmente giram em torno de uma batalha do bem contra o mal, e as séries fantásticas tendem a se concluir com a derrota do antagonista. O protagonista costuma possuir uma habilidade mágica que o ajuda a triunfar sobre o mal. Talvez os dois subgêneros mais populares da Fantasia atualmente sejam a High/Epic Fantasy e a Urban Fantasy (vou tratar sobre os subgêneros em um post futuro ^.~).

Eu já comentei algumas vezes sobre a Jornada do Herói, definida por Joseph Campbell, e na maioria das vezes, é possível identificar nas histórias de Fantasia todo o percurso da jornada feito pelo herói/protagonista do livro. No vídeo abaixo, uma palestra do TED, vocês podem ver uma explicação sobre o Monomito (em inglês).

A história da Fantasia

Não é nada fácil de definir quando a Fantasia moderna realmente começou. Sua origem pode ser traçada através dos primeiros documentos escritos da humanidade de que se tem conhecimento, A Epopeia de Gilgamesh, mas também em vários outros textos famosos de diversas culturas. A Odisseia, Beowulf, o Mahabharata, As Mil e Uma Noites, A Ilíada, Ramayana, as lendas Arturianas, todos estes exemplos são representados por bravos heróis e heroínas que enfrentam monstros terríveis em reinos arcanos e mágicos, e são responsáveis por inspirar inúmeras audiências.

Acredita-se que a história da Fantasia moderna começou com George MacDonald, o autor escocês das novelas The Princess and the Goblin e Phantastes, esta considerada a primeira fantasia escrita para adultos. Além disso, foi uma grande influência para J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis. Apesar da valor que MacDonald ou dos livros de H.G. Wells tiveram nos futuros escritores, foi somente a partir do século 20 que a ficção fantástica começou a alcançar um vasto público.

Nas primeiras décadas do século 20 autores como H. Rider Haggard (As Minas do Rei Salomão), Rudyard Kipling (O Livro da Selva) e Edgar Rice Burroughs (Uma Princesa de Marte) definiram o que ficou conhecido como o sub-gênero “mundo perdido”. Era uma forma muito popular de fantasia, assim como vários clássicos para crianças como Peter Pan e O Mágico de Oz.

Inicialmente o estilo era considerado mais aceito quando escrito para jovens e crianças do que para adultos. Então, quando autores desejavam escrever fantasia, eles precisavam ajustar suas histórias para o público infantil. Por muitos anos livros como Alice no País das Maravilhas e até mesmo O Senhor do Anéis, foram classificados como literatura infantil.

Em 1923, com o surgimento das revistas pulp focadas completamente no gênero fantástico, o mercado viu explodir a popularidade do estilo. As revistas foram responsáveis por trazer a ficção fantástica para uma audiência muito mais ampla nos EUA e na Inglaterra. Elas também foram importantes para o surgimento da Ficção Científica, e é por isso que os dois gêneros são muitas vezes associados um ao outro.

Foi com o advento da High Fantasy, muito por conta dos livros O Hobbit e O Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien, que o gênero conseguiu alcançar picos de popularidade, e permitiu que a Fantasia verdadeiramente encontrasse espaço para o público mais mainstream. Outras séries importantes, como As Crônicas de Nárnia de C.S. Lewis e Earthsea de Ursula K. Le Guin, ajudaram a cimentar as conquistas do gênero e sua popularidade.

O século 21 viu o gênero fantástico continuar com sua escalada de popularidade, e ficou evidente sua aceitação pelo sucesso de séries como Harry Potter de J.K. Rowling, e sua escola de bruxos; As Crônicas de Gelo e Fogo de George R.R. Martin, e suas intrigas políticas; e as séries de Rick Riordan, Percy Jackson e As Crônicas de Kane, que focam em mitologia Grega/Romana e Egípcia, respectivamente.

Terminando de consolidar o espaço que a literatura fantástica conseguiu no mercado, os filmes com status de blockbusters que derivaram de grande sucessos literários, ajudaram a atingir ainda mais novos leitores, e aumentar o interesse pelo gênero, elevando a busca por novos autores e clássicos na livrarias.


Livros de fantasia que precisam ser lidos

Os livros listados aqui foram livremente influenciados pelas listas da Time e da IGN, com uma ou outra colaboração pessoal.

Existem muitos outros livros clássicos e icônicos que não estão nesta lista, muitos deles ainda nem foram lançados no Brasil. Mas alguns aqui mudaram minha vida como leitora, e me moldaram na pessoa que sou hoje em dia (não muito normal, mas né… fazer o quê? ^.^)

Livros de autores brasileiros que também valem uma olhada!


Seu livro de fantasia favorito não está aqui? Me conte qual é nos comentários, vou adorar colocar na minha lista de desejados do Skoob! ^.~

Até a próxima! o/

fontes: Wikipedia e Book Country;

top livros de literatura fantástica: IGN e Time

Página 1 de 512345