resenha

Três coisas sobre você – Julie Buxbaum

21 jul 2016
Informações

três coisas sobre você

julie buxbaum

arqueiro

série ---

288 páginas | 2016

4.25

Design 4

História 4.5

Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.

design

MAGENTA! TOMA MAGENTA NA SUA CARA! Queimando suas retinas e marcando para sempre no seu cérebro a capa de Três Coisas sobre Você. Não estou exagerando ao dizer que quando abri a embalagem com o livro fiquei com um certo incômodo visual até os olhos acostumarem. >o<

Mas vejam bem, eu não estou reclamando nem um pouco. Achei muito legal a escolha cromática para capa, se eles queriam algo chamativo, com certeza conseguiram. E o magenta faz um ótimo contraste com o preto de todos os elementos visuais que tem tudo a ver com adolescência; e o branco do título.

Achei divertida a fonte um pouco tremida e em caixa alta, que deu um certo ar modernoso interessante. Colocar o nome da autora com uma fonte cursiva também foi legal para criar um contraste. Ficou um resultado muito bom todo o conjunto, uma das melhores capas da Arqueiro do ano.

E eles fizeram um miolo diferentinho também! Principalmente porque o tipo de narrativa pedia que houvesse um projeto especial. Jessie e AN começam sua história trocando e-mails e depois evoluem para um bate papo online, e você consegue perceber essa alteração também na estética do projeto gráfico. Ficou divertido e interessante essa metáfora visual “estática” do que estamos acostumados a vivenciar em nossos dispositivos, móveis ou desktop.

Tudo bem que o resto do projeto gráfico segue o padrão que a Arqueiro costuma usar, mas para a nota final de design dei um total maior, já que gostei muito da capa e das intervenções “digitais” no miolo.


história

Há pouco tempo li Os Bons Segredos, da Sarah Dessen, e é impressionante como dois livros com um tema de certa forma parecidos, podem ser tão diferentes.

Três Coisas sobre Você foi uma experiência muito mais divertida e descompromissada do que Os Bons Segredos. Tudo bem que o motivo da mudança de escolas que as personagens de cada livro tem são bem diferentes, mas acho que a forma como Julie Buxbaum conta sua história e cria sua heroína foi muito mais interessante e envolvente do que Sarah Dessen.

Uma coisa muito interessante que a autora coloca no livro é que existem três formas de você lidar com o high school: ou vão ser os melhores anos da sua vida; ou vão ser os piores anos e fim, as coisas melhoram; ou você vai passar o resto da sua vida tentando se recuperar desse tempo. Acho que eu sou do último grupo… até hoje ainda sofro com “seqüelas” dos últimos anos do colégio… :P

Tudo bem. Eu confesso que comecei Três Coisas Sobre Você com medo de que Jessie fosse passar o livro inteiro sendo a solitária, deprimida e praticante de slut shame contra as “Barbies e Kens” de sua nova escola. Ainda bem que não foi nada disso. Ela faz novas amigas e tem diálogos interessantes com elas que não são necessariamente sobre os meninos do colégio. Mas sobre eles também. XD

Jessie foi para Califórnia porque seu pai encontrou um novo amor, depois de 733 dias da morte de sua mãe. Sim, Jessie conta, até mesmo as horas. Só que a menina de Chicago acredita que nunca vai se integrar a essa nova família, que já vem com um irmão da sua idade; nem ao novo colégio, cheio que riquinhos e pessoas naturalmente lindas e populares.

Sete dias depois de “navegar” pelo colégio, Jessie recebe um e-mail de Alguém Ninguém, se oferecendo para ajudá-la a se sair melhor nos corredores, descobrir quem são as pessoas com quem conversar (e evitar), e para ser um amigo anônimo e digital. A princípio Jessie desconfia do e-mail, afinal pode ser uma das meninas esnobes e que estão começando a encontrar um novo alvo para seus ataques de bullying. Mas né… vai que pode ser verdade.

A história de Jessie alterna entre seu relacionamento conturbado com o pai (que ela tem a impressão que a abandonou para seguir sozinho seu coração) e com a madrasta, que é uma mulher rica e bem sucedida, mas não sabe lidar com a adolescente; e seus dias na escola, em sua luta para encontrar seu espaço. Isso misturado com todas as conversas que ela passa a ter com Alguém Ninguém, e que se tornam muito importantes para sua “sanidade”; e, isso não seria um romance adolescente se não tivesse três rapazes interessantes que passam a fazer parte da vida de Jessie. Porque, né? Quem quer um só?

Além disso tudo, Jessie ainda tenta manter contato com sua melhor amiga de Chicago, e isso também é mais um foco de tensão para a jovem, ter a sensação que tudo o que deixou para trás está começando a sair do seu controle.

Gostei bastante da história e do desenvolvimento dos personagens de Três Coisas Sobre Você. Fiquei completamente do lado de Jessie em todas as suas revoltas e brigas com seu pai. Fiquei curiosa para descobrir quem era Alguém Ninguém e torcia por um gatinho em especial. Achei a voz de Jessie divertida, e toda a trama soa como se fossem realmente adolescentes conversando. Achei as vozes mais críveis aqui do que em Os Bons Segredos, por exemplo. Os assuntos realmente fazem parte do universo adolescente, em suas crueldades, curiosdades e interesses.

Uma das coisas mais divertidas era durante a troca de mensagens, quando Jessie e AN diziam três coisas sobre algum assunto qualquer. Era uma forma de se aproximarem e, de certa forma, de se apaixonarem.

É engraçado que aqui, mais do que em Os Bons Segredos, você consegue dar “peso” e “volume” para os personagens, mesmo que eles tenham algum viés dos clichês dos livros YAs, e que algumas coisas sejam previsíveis. Talvez, certa previsibilidade em romances contemporâneos juvenis, aquela sensação de que o “bem” vai vencer o “mal”, sejam importantes para que eu me envolva e torça pelos personagens. É um dos melhores livros do gênero que li esse ano.


Até a próxima! o/

banner-resenha-arqueiro_2016

Você também vai gostar

1 comentário

  • Responder Aline Lanis 24 jul 2016 at 23:13

    Adorei a resenha! Não conhecia o livro e agora tô com vontade de ler! E sobre essa capa? Maravilhosa, adorei ela. Compraria apenas pela capa :x aushauha ainda sou bem adolescente, então tudo bem.

    bjss

  • Deixe uma resposta