resenha

Anna Vestida de Sangue – Kendare Blake

26 jul 2016
Informações

anna vestida de sangue

kendare blake

verus

série anna #1

252 páginas | 2016

4

Design 3.5

História 4.5

14

Cas Lowood herdou uma vocação incomum: ele caça e mata os mortos. Seu pai fazia o mesmo antes dele, até ser barbaramente assassinado por um dos fantasmas que perseguia. Agora, armado com o misterioso punhal de seu pai, Cas viaja pelo país com sua mãe bruxa e seu gato farejador de espíritos. Juntos eles vão atrás de lendas e folclores locais, tentando rastrear os sanguinários fantasmas e afastar distrações, como amigos e o futuro.

Quando eles chegam a uma nova cidade em busca do fantasma que os habitantes locais chamam de Anna Vestida de Sangue, Cas espera o de sempre: perseguir, caçar, matar. Mas o que ele encontra é uma garota envolta em maldições e fúria, um espírito fascinante, como ele nunca viu. Ela ainda usa o vestido com que estava no dia em que foi brutalmente assassinada, em 1958: branco, manchado de vermelho e pingando sangue. Desde então, Anna matou todas as pessoas que ousaram entrar na casa vitoriana que ela habita. Mas, por alguma razão, ela poupou a vida de Cas.

Agora ele precisa desvendar diversos mistérios, entre eles: Por que Anna é tão diferente de todos os outros fantasmas que Cas já perseguiu? E o que o faz arriscar a própria vida para tentar falar com ela novamente?

Design

A capa de Anna Vestida de Sangue é uma boa adaptação da versão original, e até acho que algumas escolhas ficaram mais legais na nossa versão.

A Verus realmente investiu na questão do “sangue” do nome do livro, colocando um background vermelho atrás do nome da autora e também no logo da editora. Na verdade, existem vários outros elementos vermelhos na capa.

Gostei bastante da fonte que lembra Trajan, com esse outter glow vermelho e certos detalhes para passar a impressão que o título está gasto e rasgado. A ilustração de Anna também é muito bonita, dá toda a ambientação do clima de terror que a história passa, mas eu esperava um pouco mais de vermelho no vestido dela. Durante a trama, Cas descreve como o vestido pinga sangue e como fica manchado desde a área do pescoço de Anna, e na ilustração parece que é só a borda do vestido que está suja.

Quarta-capa. Mais vermelho. Só que agora com um box transparente onde a sinopse está escrita em branco. No fundo, um detalhe da imagem da capa, que capta só um trecho do vestido de Anna e uma das pétalas de flores.

Apesar de ter gostado de todo o clima, paleta cromática e fontes, senti um pouco de falta de algum elemento de acabamento na capa. Ou um soft touch, ou um verniz localizado, ou algum tipo de textura…

Quanto ao miolo, não temos nenhum tipo de marcação diferenciada ou que tenha chamado muito minha atenção. O projeto gráfico segue o que costuma ser aplicado nos livros do grupo Record, com fonte serifada grande, certo problema de impressão com letras muito carregadas, essas coisas que já comentei em outras resenhas da editora.


História

Se você acompanha o blog sabe que eu quase não leio livros de “terror” por aqui. Terror entre aspas porque os que obviamente são assustadores como O Exorcista e companhia eu não vou nem passar perto. Mas então, não sou muito fã da literatura dos sustos, porque normalmente eu sou muito impressionável e tenho um cagaço imenso de coisas que me deixam tensa.

Jack-Sparrow-Scared-In-The-Jungle

Mas eu li Anna Vestida de Sangue. E eu gostei. Muito. Principalmente porque Kendare Blake começa sua história com uma ambientação que é tensa e assustadora, mas ao longo do livro, ou eu fui envolvida demais pelos personagens, ou todo o “terror” e atmosfera sobrenatural que ela criou no começo se “diluiu”.

Theseus Cassio “Cas” Lowood conta em primeira pessoa sua experiência de ser um caçador de assassinos. Não assassinos quaisquer, mas aqueles que já estão mortos e ainda continuam por aqui, perpetuando o medo e o terror. Cas persegue e termina de mandar fantasmas para seja lá onde eles deveriam ir.

O livro começa com Cas descrevendo sua mais recente caçada, e é uma mistura de situação engraçada (ter que trabalhar para o vizinho para conseguir seu carro emprestado) com uma descrição acurada e aterrorizante do seu encontro com o Caronista do Distrito 12. Eu até pensei que, se o clima do livro seguisse o mesmo que foi apresentado nos primeiros capítulos, eu ia sofrer um pouco para conseguir chegar ao final.

Rapunzel scared

Cas vem de uma longa linha familiar de matadores de fantasmas, e desde pequeno ele tem se preparado para vingar a morte do pai. Ele e sua mãe, que é uma bruxa branca, viajam por vários lugares do EUA para atender chamados e sugestões de fantasmas que precisam ser liquidados. Seu próximo trabalho o leva para Thunder Bay, uma cidade do Canadá, e lugar onde está Anna Korlov, e é aqui que se passa toda a história do livro.

Cas é um rapaz com um objetivo. Ele não quer ir para a escola, não quer pensar na faculdade, apesar de sua mãe tentar incentivá-lo. Ele não quer criar laços de amizade. Cas tem um trabalho a fazer e por isso, não precisa de ajuda. Só que uma das primeiras coisas que faz na nova escola é se meter com a menina mais popular que, infelizmente, acabou de terminar com o esportista acéfalo e violento. Obviamente, não foi uma boa decisão.

Com isso, ele se vê frente a frente com Anna Vestida de Sangue antes que realmente estivesse preparado para enfrentá-la, e também presencia o assassinato de um dos rapazes idiotas do colégio. Com isso Cas percebe que: Anna é muito mais forte do que qualquer fantasma que já tenha enfrentado, e que quando conseguir derrotá-la finalmente vai estar pronto para vingar o pai; provavelmente ele não vai conseguir fazer isso sozinho, porque para conseguir encará-la ele vai precisar de ajuda, mesmo tendo sobrevivido no primeiro encontro com a fantasma.

Samara The Ring - scared

Cas como personagem é muito interessante. Independente, sarcástico e corajoso, ele tem tudo para ser aquele personagem solitário e depressivo, mas sua interação com os personagens secundários ajuda a fazê-lo se desenvolver. O mais interessante é que Kendare Blake colocou duas pessoas completamente clichês na vida de Cas, mas que a autora consegue desconstruir todos os preconceitos que provavelmente estão associados com a Loira Popular e o Nerd Esquisito.

Carmel e Thomas mostram que são muito mais do que as expectativas e preconceitos que Cas (e o leitor) podem ter com suas características iniciais e se tornam partes cruciais para o desenvolvimento da história. Acho que é por conta dos dois também que o livro fica um pouco menos aterrorizante, e até mesmo nas cenas mais descritivas e tensas que acontecem no terço final, eu não fiquei tão impressionada como no começo.

Algumas coisas interessantes nesse universo de Cas são que fantasmas são aceitos facilmente pelas pessoas, eles tem “substância” e podem interagir e tocar em você. Existe magia e a autora cita bruxaria branca e negra, além de diferentes tipos de vodu. Kendare consegue desenvolver e envolver todos esses assuntos de forma convincente ao longo da história.

Só achei que algumas coisas ficaram sem explicação. Quem ou o que era o fantasma que matou o pai de Cas; a racionalização de todos os assassinatos cometidos por Anna ao longo de mais de 50 anos e a falta de justificativa para o que ela fez; a explicação para ela ser uma deusa/demônia da morte, um fantasma tão diferente dos que Cas já lidou, também não foi muito aprofundada.

Anna Vestida de Sangue é um romance, então espere pelo momento de realização de Cas ao se perceber apaixonado pela primeira vez. É um tanto previsível e até mesmo esperado, e obviamente faz com que o final do livro seja ainda mais triste e angustiante.

Pelo menos já existe um segundo volume lá fora que acredito que fecha a história de Cas, Carmel, Thomas e Anna. E espero que responda algumas das minhas principais questões.


Até a próxima! o/

banners-resenha-verus

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta