resenha

Apenas um Ano – Gayle Forman

15 out 2015
Informações

apenas um ano

gayle forman

novo conceito

série apenas um dia #2

352 páginas | 2015

2.75

Design 3.5

História 2

Em Apenas um Dia, os momentos de paixão entre Allyson e Willem foram interrompidos de maneira abrupta, lançando a jovem em um abismo de questionamentos e dor. Agora a história é contada pela voz de Willem. Sem saber exatamente o que o atraiu na garota de olhos grandes e jeito comportado, o rapaz inicia uma busca obsessiva por pistas que levem até a sua Lulu mesmo sem saber sequer o seu nome verdadeiro.

Enquanto tenta compreender o mistério que os separou, Willem se esforça para costurar relacionamentos desgastados e procura respostas para o futuro. Mais do que uma aventura de verão, o encontro em Paris significou para ele o início da vida adulta. Da mesma autora dos best-sellers Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi,

Apenas um Ano reúne todos os ingredientes de um romance imperdível: viagens, saudade, encontros, desencontros e amor.

Design

Eu falei do projeto gráfico de Apenas um Dia e a parte do miolo não muda em sua essência em Apenas um Ano. O que me incomodou um pouco foi a decisão editorial de lançar este segundo volume com uma nova identidade visual na capa, que não combina em nada com a do primeiro volume.

Ia ser muito bonito (e gentil com os leitores) se fosse feito uma sobrecapa como a do novo projeto de Estilhaça-me, que os leitores puderam se cadastrar e receber em casa. É meio chato você ter dois livros que não conversam entre si, por serem edições diferentes, e porque a editora não disponibilizou uma forma de você ter livros combinandinho.

Mas considerando a capa isoladamente, eu gosto bastante desse estilo de grid de fotos, esse mosaico de momentos capturados, esses pedaços de vida que montam a arte. Até gostaria de ficar com os dois livros com o mesmo estilo, mas eu também curti a versão original do primeiro volume. ¯\_(ツ)_/¯ Como eu não criei nenhum tipo de envolvimento muito forte com a história em si, muito provavelmente vou deixar na estante e acabar esquecendo que são diferentes de qualquer forma.


História

A sensação de perda de tempo quando cheguei no final desse livro foi tão grande que teria sido muito mais proveitoso se eu simplesmente tivesse ido direto para o fim e lido o último capítulo.

Assim, se vocês leram minha resenha de Apenas um Dia sabem que eu não gostei da história muito menos dos personagens. Foi uma experiência bem frustrante e o final em aberto só me deixou bastante irritada.

Foi exatamente por causa dele e da possibilidade de “ouvir” a história pela voz de Willen, que simplesmente sumiu por um ano na vida da “Lulu”, que me deu forças para tentar continuar a duologia. Eu estava curiosa para tentar entender o que aconteceu com Willen e descobrir se a autora foi corajosa o suficiente para terminar a história que ela tinha deixado em aberto.

Só que não. Willen continuou o personagem sem graça e sem sal do primeiro livro. Além de tudo ele é muito chatinho com essa coisa de não decidir o que quer fazer da vida, de deixar os acontecimentos e o acaso liderarem suas ações. Só que ele não tomava decisões até um certo ponto, né. Mas a postura dele em relação à vida me incomodou.

Ele também tinha um relacionamento não muito saudável com seus pais, acho muito estranho você tratar seus pais pelos nomes, mas Willen parece estar só fugindo de responsabilidades e de decisões durante todo o livro.

A seu favor eu posso dizer que ele ao menos tentou encontrar a Lulu desde o começo, enquanto ela só ficou remoendo e sofrendo. Mas, sei lá. Como eu não gostei dos personagens no primeiro livro, foi difícil de conseguir uma maior empatia e relacionamento com o Willen, principalmente por causa de suas atitudes na maior parte do tempo, extremamente blasé e laissez-faire, laissez-passer.

O pior de tudo é que o que realmente me importava, descobrir se houve desenvolvimento do final em aberto do primeiro livro, bem, desculpa aí, não aconteceu. O final continua o mesmo, só que agora pela visão do Willen. Achei super covarde da autora não finalizar direito a história. Me senti roubada do meu tempinho de leitura, porque antes eu tivesse ido logo para o último capítulo e visto que não deveria ter perdido tempo lendo a história toda.

Em casa ainda tenho Se eu ficar/Para onde ela foi para ler, mas depois dessa primeira experiência com os livros de Gayle Forman, não tenho tanta certeza se quero ler qualquer um de seus outros livros…. =/


Outras resenhas da série

Apenas um dia - Gayle Forman


Até a próxima! o/

banner-resenha-novo-conceito

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta