resenha

Prazeres da Noite – Sylvia Day

20 jan 2015
Informações

prazeres da noite

sylvia day

leya / quinta essência

série dream guardians #1

256 páginas | 2014

3.75

Design 3.5

História 4

No limiar entre o sono e a consciência, uma batalha se trava entre o sonho e o pior pesadelo. Capitão Aidan Cross é uma lenda, tão hábil em criar sonhos eróticos quanto em matar seus inimigos. As mulheres o veem como parte de suas fantasias… Exceto Lyssa Bates. Esquisita, enigmática e desejável, Lyssa desdenha deste sedutor imoral, porque ela o vê como ele realmente é. E, enquanto ele tenta desvendar seus segredos, o impensável acontece: Aidan se apaixona.

Lyssa tem tido os sonhos mais incríveis com esse homem de olhos azuis que promete prazeres intensos e profunda intimidade. Até que ele aparece em sua porta. Mas na sua rendição, há também um grande perigo…

Aidan está em uma missão e a paixão que os consome poderá ter consequências terríveis. Amar a mulher que veio para destruir o seu mundo não é só apenas impossível… é proibido.

Design

Prazeres da Noite tinha tudo para ter uma capa legal, principalmente apostando na modernidade da CAIXA ALTA e das fontes sans-serif para os títulos e todos os elementos textuais. Mas essa imagem de fumacinha “qualquer coisa” não deu para relevar. Tudo bem que o livro trata de sonhos, da questão toda do estado onírico e de uma dimensão de sonhos x pesadelos, só que essa fumacinha ficou muito gratuita e não conquista ou passa nada do que o livro realmente é. A capa conceitual aqui  não funcionou. Acho que se tivessem usado alguma imagem de uma mulher submersa com cabelos esvoaçantes ou qualquer coisa com essa pegada mais de “sonhos” teria me interessado bem mais.

Uma outra coisa que me incomodou um pouquinho na capa foi a presença do logo da editora LeYa e do selo Quinta Essência, não pela presença em si, mas pela organização dos dois na capa. Como o “bloco” da LeYa está centralizado, tem um maior peso de visualização, e faz parecer que o logo da Quinta Essência está mal colocado ou deslocado no projeto gráfico. O incomodo se estende para a quarta capa e a escolha de uma fonte slab-serif e levemente condensada para o texto da sinopse. Em cor branca sobre um fundo preto fica ainda mais complicado de ler porque o corpo e as hastes da fonte são muito finos e quase perde legibilidade para o texto.

O miolo é muito bom, apesar de ficar “me devendo” um cabeçalho e da escolha de uma fonte meio estranha para o capitular das aberturas de capítulo. A fonte do miolo é muito boa, tem ótima legibilidade e uma entrelinha adequada para o tamanho. As margens também são equilibradas criando uma ótima ocupação da mancha gráfica na página. Gostei dos grafismos que ilustram o rodapé, juntando uma sensação meio “afiada” das espadas dos guerreiros e feminina.


História

Agora sim reencontrei a Sylvia Day escritora de sobrenatural erótico que conheci e passei a admirar em Um Toque de Vermelho.

Em Prazeres da Noite a autora conseguiu criar um universo plausível e interessante, desenvolvê-lo e embalá-lo em todo o romance erótico como bem sabe fazer. O que ela ficou me devendo em Enfeitiçados pelo Desejo, ela pagou com juros em Dream Guardians.

Apesar de o começo do livro ser ligeiramente confuso, quando todo o background e conceito dos Sonhos, Crepúsculo e Pesadelos é explicado, com o passar da história e o envolvimento dos personagens você acaba pegando o ritmo. E que ritmo!

Day só cria homens impressionantes, irresistíveis e incansáveis! Aidan é o Capitão da Elite de guerreiros do Crepúsculo (e o gatinho da história), responsável por entrar nos sonhos das pessoas, realizar suas fantasias, principalmente as sexuais, e derrotar os Pesadelos, seres alienígenas que precisam ser mantidos longe dos humanos.

A raça de Aidan acidentalmente abriu uma fenda dimensional entre o nosso mundo e o dos Pesadelos, e por esse erro, tornaram-se os guardiões dos nossos sonhos para evitar uma invasão. Nossos sonhos são as fontes de poderes dos Pesadelos.

Na Terra, Lyssa sempre teve problemas para dormir. Já passou por vários médicos ao longo de sua vida e está cansada de tentar procurar um diagnóstico. Acontece que Lyssa tem uma das mentes mais protegidas que os guardiões já encontraram. Isso desperta o interesse dos Anciãos do Crepúsculo e eles decidem enviar Aidan para investigar a jovem e, se ela indicar que pode ser a Chave, uma lenda da raça de Aidan, deve ser destruída.

Obviamente que a atração entre Lyssa e Aidan é instantânea e explosiva, e vai ser o catalisador para todos os acontecimentos da história.

Eu adorei Dream Guardians, não só por ser uma temática que até o momento eu não havia visto ser desenvolvida por nenhum autor, mas obviamente por toda carga romântica/erótica envolvida. Tudo bem que existem alguns clichês “básicos” de qualquer romance, tipo o “insta-love”, o amor instantâneo entre os personagens. Mas gostei tanto do jeito de Aidan, e de Lyssa não ser uma coitadinha indefesa, apesar de todo o seu background de “insônia” e de super proteção da mãe,  que dá totalmente para relevar certos “problemas”.

Como uma grande maioria dos romances hots que já li, 2/3 da história é basicamente focado no desenvolvimento do relacionamento dos personagens principais e nas descrições das cenas de sexo. Que, convenhamos, estamos falando de Sylvia Day, então subentende-se que elas são QUENTES e descritivas. Ainda sinto um pouco de vergonha alheia em alguns diálogos “eróticos”, mas a construção de todo “o ato” é muito bem desenvolvida.

Fanning

Acho que o único chato é que toda a intriga política e desenvolvimento dos personagens fica muito em segundo plano e ligeiramente corrido. No clímax final do livro algumas explicações são jogadas NA SUA CARA, e você fica meio que “boiando” em algumas coisas, que eu espero, sejam melhor desenvolvidas nos próximos livros da série.

Não li a sinopse dos volumes seguintes, mas torço para que a história continue focada em Aidan e Lyssa. Bem senti “cheiro” de “um livro novo, um personagem/casal novo”, ainda mais quando Sylvia Day insere dois outros personagens masculinos e fortes na história.

Até o momento existem mais um livro lançado lá fora, sem previsão para um terceiro. Espero que a LeYa não demore para lançar o segundo, e que não faça como a série da Harper Connelly, que está sem fim até hoje… T_T


Até a próxima! o/

banner-resenha-leya

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta