resenha

Louco por Você – Jasinda Wilder

16 jan 2015
Informações

louco por você

jasinda wilder

novo conceito

série falling #1

272 páginas | 2014

4

Design 4

História 4

Nell e Kyle são amigos desde a infância. Sempre fizeram tudo juntos, então ela nem se lembra de quando se tornaram realmente um casal. Quando Kyle morre da forma mais repentina, o mundo de Nell é lançado em um abismo de incertezas e dor. É quando Nell conhece Colton, irmão de Kyle e até então um completo desconhecido para ela.

Estranhamente, é como se Colton a conhecesse há muito tempo… é como se ele a conhecesse por dentro. Ambos passam, então, a lutar para seguir em frente da melhor maneira possível. Nell, sufocada pelo peso da culpa.Colton, lutando contra a força que o arrasta em direção a ela… Cada um à sua maneira, os dois precisam desesperadamente encontrar o sentido da cura e do perdão.

Em Entre a paixão e a dor, Jasinda Wilder combina o calor do desejo com a angústia, a perda da inocência, o luto e as tentativas de recomeço. O resultado é uma viagem ao mesmo tempo sensual e melancólica que ficará gravada em sua pele muito tempo depois que esta história terminar.

Design

Entre a paixão e a dor - Jasinda WilderNão sei se vocês acompanharam, mas essa não foi a primeira capa desenvolvida para Louco Por Você. Na verdade, o título do livro nem era esse também. Mas os leitores e fãs da autora chiaram e a Novo Conceito, democrática, ouviu e atendeu aos pedidos de alteração, e ficamos com essa capa em tons frios e arroxeados. Ainda bem. Apesar de ter algumas coisinhas que me incomodaram, a segunda capa é uma boa evolução quando comparada com a primeira versão (apesar de eu ter gostado da fonte cursiva que foi usada no nome da autora).

Acredito que nessa segunda versão, o projeto quis dar uma modernizada usando fontes sans-serif para o título e ainda em CAIXA ALTA, mas apesar de eu gostar dessas capas que trabalham com uma fonte mas marcante, não sei se esta especificamente foi uma boa escolha. O corpo das letras é muito fino ao mesmo tempo que a largura é um tanto quanto robusta já que as letras parecem ter uma ocupação muito quadrada, e faz com que as palavras fiquem muito longas. Eu particularmente acho que fontes condensadas e semibold/bolds funcionam melhor para titulagem, vide exemplo dos livros da Abbi Glines, lançados pela Arqueiro.

Gostei do padrão monocromático lavado, que passa exatamente o sentimento que permeia toda a leitura de uma certa tristeza e apatia. O que eu não gostei muito foi a quarta capa, que ficou com uma massa muito grande de informação, além de duas fontes que não harmonizaram bem no projeto. Acho que o problema aqui foi o tamanho das letras e a entrelinha, que fez com que a quarta capa ficasse muito pesada e você quase não consegue aproveitar o detalhe do coração na mão da modelo.

Acho que esse é o primeiro livro da Novo Conceito que faço resenha que tem uma “classificação indicativa”, com selinhos que indicam que tipo de assuntos você pode encontrar na leitura. No caso de Louco Por Você foram “erotismo”, “amor”, e “drama’. Eu particularmente achei uma ótima iniciativa. Agora eu fico olhando os versos para tentar descobrir algum selinho novo nos livros que chegam aqui em casa. ^.^

O miolo tinha tudo para ganhar nota máxima. Fonte do texto principal legível e confortável com uma ótima entrelinha e ocupação na página; cabeçalho e rodapé balanceados com as margens e massa de texto. Lembram a fonte cursiva que falei no começo? Ela aparece no nome da autora no cabeçalho e ficou muito elegante. Mas não rolou nota máxima para o miolo por dois motivos: 1) além da fonte principal, existem mais quatro fontes diferentes para áreas distintas do projeto gráfico; 2) a ilustração com pinta de clipart na abertura dos capítulos. u.u

Não entendo muito bem qual a necessidade de encher o miolo de fontes diferentes, principalmente quando elas não conversam uma com a outra. Talvez seja chover no molhado, mas ainda acho que duas famílias bem trabalhadas conseguem criar diversos pontos de interesse no layout. Além disso, achei desnecessária a ilustração do casal em todas as aberturas de capítulo. Como o livro é dividido em partes, acho que a ilustração poderia ter sido usada nessas aberturas, como mais uma indicação de alteração de POV de personagens. Dessa forma ela poderia ser mais trabalhada e interessante para o leitor do que um simples vetor com fade-out meia boca nos cantos.


História

Sempre tive dificuldades com histórias de superação, muito por causa de todo o sofrimento que os personagens costumam ter que passar até alcançar a tal superação. Com isso vocês podem perceber que a leitura de Louco por Você foi muito dolorosa e triste.

Sem spoilers aqui porque já está tudo escrito na sinopse, mas a história é dividida entre o antes e o depois da morte de Kyle. Então a gente acompanha dois momentos da vida de Nell, o primeiro é sobre sua adolescência, descoberta de sexualidade e primeiro amor. O segundo é sobre a tal superação, ou nem tanto, mas mostra uma personagem mais madura, mais sofrida e levemente perdida, desde que perdeu o amor da sua vida.

Para os leitores que se aventuraram na Saga Crepúsculo, lembram quando Edward termina com Bella e ela entra em depressão? O que a Bella sente não chega nem perto do que Nell sofre ou mostra para o leitor ao longo de Louco por Você. Nell chega a se mutilar para amenizar a dor da culpa que sente pela morte de Kyle, e a dor física é muito mais agradável e uma companhia mais aceitável do que a dor que sente em seu coração.

Suffering

A construção da história de Nell e Kyle, o descobrimento e o desenvolvimento do seu amor, as primeiras descobertas juntos, a preparação para a primeira noite dos dois… toda essa parte inicial é doce e romântica, de deixar você com um leve sorriso de satisfação por ler uma narrativa tão bonita entre dois personagens “perfeitos”. Mas é a parte madura da história, quando Nell já está um pouco mais adulta e se envolve com o irmão mais velho de Kyle, Colton, é que o sofrimento realmente aparece.

O bom é que quando o foco muda para o futuro, depois da morte de Kyle, o narrador passa a ser Colton em muitos capítulos, e eu gostei muito dessa mudança de ponto de vista. Acho que se a autora mantivesse o foco em Nell o livro ia ser tão depressivo que iam escorrer lágrimas das páginas. Essa alteração também trás uma voz mais masculina e gutural para o texto, mostrando um lado mais carnal e físico da relação entre Nell e Colton, e como por mais “quebrados” que os dois sejam, juntos toda a atração entre eles faz com que as coisas pareçam certas.

Por mais que Kyle tenha sido o primeiro em muitas descobertas de Nell, acho que Colton fez muito mais e melhor pela personagem. Eles sofrem muito juntos, mas ao mesmo tempo se apoiam e querem ajudar um ao outro a superar e enfrentar seus demônios. Juntos.

Com Colton, Nell se torna mais mulher, mais madura, mais sexy. A relação dos dois é bastante carnal e a escrita inclusive se torna mais descritiva quando trata dos dois, principalmente nas cenas mais sensuais. Quando os dois estão juntos a tensão é palpável então a autora capricha para mostrar isso para o leitor.

É um livro de “coming of age”, de crescimento, de aprender a enfrentar seus problemas e superá-los, de não se entregar, e de acreditar que alguma coisa nessa vida deve ser boa. É sobre aprender a confiar, a ceder, a dividir o sofrimento e as felicidades. É um livro triste para caramba que me deixava com os olhos cheios de água a cada dezena de páginas.

E é lindo, mortificante, triste, romântico, e impossível de se largar. E apesar de se ter um final agradável para toda a história que a gente acompanha, você ainda termina o livro com uma leve sensação de desamparo, como seu um pedaço de você também tivesse morrido junto com a alma da Nell quando todo o sofrimento começou lá no começo.


Até a próxima! o/

banner-resenha-novo-conceito

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta