resenha

Dearly, Departed – Lia Habel

26 mar 2014
Informações

dearly, departed

lia habel

id

série gone with the respiration #1

480 páginas | 2012

4

Design 4

História 4

Ela é Nora Dearly, uma garota neovitoriana de 17 anos que sofre com a morte dos pais e vive infeliz aos cuidados da tia interesseira. Ele é Bram Griswold, um jovem soldado punk, corajoso, lindo nobre…e morto!

No ano de 2187, em meio a uma violenta guerra entre vitorianos e punks, surge um perigoso vírus, capaz de matar e trazer novamente à vida.

As pessoas tornam-se zumbis, mas nem todos são assassinos e devoradores de carne. Há os que lutam para que o vírus não se espalhe…

Apenas Nora tem o poder da cura em suas mãos, ou melhor, em, seu sangue. Ela não sabe disso, e corre perigo. É papel de Bram protegê-la…

design

Não sei se vocês sabem, mas a capa de Dearly, Departed é uma adaptação da arte original. A iD incluiu o subtítulo, que na opinião não seria necessário, mas manter a capa foi uma boa escolha. Gosto muito da foto utilizada, ela funciona bem, a modelo ajuda você a imaginar Nora e chama atenção. Não gostei muito da aplicação de uma sombra projetada no título do livro, criou uma certa interferência visual desnecessária.

A quarta capa dá um tom um tanto quanto mórbido para o livro, com a imagem do cemitério com esse tom avermelhado, ao mesmo tempo que usa um motivo de rendas para definir a área do quote de Nora. Ficou interessante, mas como já comentei em outras resenhas, prefiro uma sinopse nesta área. Não sou dada a ler os textos das orelhas quando estou buscando um livro novo na livraria, só quando já comprei e vou iniciar a leitura, por isso o texto da quarta capa é tão importante para mim.

O miolo foi mais uma vez o responsável por baixar a nota do design. A estrutura visual segue exatamente as dos livros que li anteriormente da iD: fontes pequenas, com entrelinhas grandes e uma ocupação de página arejada demais. As aberturas de capítulo têm uma moldura em volta do título que eu achei desnecessária. Ela combina elementos que seriam steampunk, que eu não acho que é o estilo do livro, e uma moldura com elementos florais. Ficou pesado e o texto fica comprimido dentro da área. Acredito que se tivessem mantido a ideia da renda utilizada na quarta capa o resultado seria mais leve e agradável.

Por último, vi alguns problemas de revisão no estilo de Os Videntes, de diálogos com travessões que confundem o leitor, mas em menor quantidade que o primeiro livro que li da editora.


história

Dearly, Departed me ganhou pela capa. Roupa vitoriana e sombrinha?! Adoro! *o* E sim, depois de Sangue Quente, eu queria ler outras coisas de zumbis. A diferença aqui é que, mais do que reflexão de vida ou sociedade, o livro é um romance, e o quão estranho pode ser um romance entre um cadáver ambulante e uma adolescente? O.o

Uma das coisas que gostei bastante foi como Lia Habel contextualizou seu mundo: Nora Dearly, a personagem principal, conta para o leitor tudo o que aconteceu com o mundo do futuro enquanto escreve um trabalho de escola. De uma forma direta, ela consegue explicar toda a mecânica política e reconstrução do mundo, sem parecer que a personagem é uma maluca que fica contando para si mesma os acontecimentos do dia.

Apesar de toda a temática vitoriana, ele não é um steampunk. Os personagens estão em um futuro onde os sobreviventes dos “cataclismos” (assustadores, diga-se de passagem) eram de alguma forma “amantes” da época vitoriana, onde as pessoas eram educadas, gentis e se vestiam com maior decoro. Mas a tecnologia é uma evolução do remanescente do que temos hoje em dia, celulares, tablets, computadores.

No futuro de Nora o mundo é dividido entre os neovitorianos e os punks. Eles estão em guerra por causa de suas ideologias conflitantes e por terra (sempre terra). Só que um vírus que é capaz de reanimar os mortos começa a atacar os dois lados, e a informação é mantida em segredo de toda a população. Até o dia em que zumbis violentos tentam sequestrar Nora, e ela é salva por outra equipe de zumbis, só que civilizados e coordenados pelo exército neovitoriano.

rolling_eyesA história se divide em quatro pilares importantes, sendo que os que dão linha guia e maior dinamismo são contados por Nora e Bram, o soldado-morto-gatinho da vez. Afinal, para ter romance só não pode estar faltando pedaços importantes, né? ^.~ Os outros narradores são o pai de Nora e sua melhor amiga Pamela. Confesso aqui que no começo do livro, toda vez que a narrativa saía do foco Nora/Bram eu ficava “ah, não… <rolling eyes>”, mas depois, quando o clímax da história começa a se aproximar, os capítulos fora do “núcleo principal” também são muito legais. E eles passam a ser importantes para você entender o que está acontecendo no resto do mundo, principalmente porque a narrativa é sempre em primeira pessoa, independente de qual personagem é o POV. Então, se não tivéssemos os outros dois personagens, a história ficaria fechada só nos pombinhos.

Outra coisa que me conquistou e que fugiu de um padrão dos YAs: Lia Habel não investe em um triângulo amoroso. Não existe outro gatinho (vivo ou morto) para competir com Bram ou uma zumbi para atrapalhar o relacionamento de Nora. Pontos para autora. Me entendam, eu gosto de triângulos amorosos até certo ponto. Quando o nível de incerteza da mocinha começa a ficar muito aberrante passa a me irritar.

Gostei muito da forma como a história é contada. Ela é ágil e dinâmica e você consegue “ouvir as vozes” dos personagens em cada capítulo. Nora não é uma mocinha indefesa, mas também não a percebi como uma super-heroína. Ela sabe seus limites e sabe lutar pelo que acredita, com unhas e dentes; e o mais importante, ela sabe acatar ordens. Odeio aquelas personagens que o gatinho fala “não vá por aí” e elas, obviamente, vão… ¬¬

A história termina relativamente fechada, deixa algumas coisas em aberto mas que não necessariamente justificariam continuações. De qualquer forma, quero ler Dearly, Beloved para saber o que Lia Habel construiu para a evolução de seus personagens. (por favor, não estrague tudo, por favor, não estrague tudo, por favor, não estrague tudo…)


Até a próxima! o/

banner-resenha-id

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta