resenha

Como Eu era antes de Você – Jojo Moyes

24 maio 2013
Informações

como eu era antes de você

jojo moyes

intrínseca

série ---

320 páginas | 2013

4

Design 4

História 4

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento.

O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

Design

Olhando rapidamente minha estante do skoob, acredito que esta é uma das capas mais femininas e delicadas que tenho. A ilustração é muito forte, ainda mais depois que você termina a leitura e entende a metáfora da menina e do pássaro. O contraste do preto e rosa cria uma harmonia entre o que seria “tristeza” e feminilidade muito bonita.

Particularmente não sou fã de “quotes” na capa, acho que rouba espaço de respiro, ainda mais fazendo uma referência a Um Dia, que foi um livro que não curti muito. Quanto a hierarquia, o título e o nome da autora tem praticamente o mesmo peso, mas acabam ficando equilibrados por cada um  estar numa área de cor diferente na capa.

Acho que eu meio que esperava que o padrão cromático continuasse na parte interna, com uma chapada de rosa ou de preto, então foi um pouco frustrante ver a cor normal do papel. O miolo ficou bem balanceado e centralizado na página, com ótimas margens  e respiros. O espaço entre o cabeçalho e o miolo aqui ficou adequado e não deu sensação de aperto.

As aberturas de capítulo são numeradas e eu preferiria que a fonte tivesse seguido o padrão que foi usado para a palavra “prólogo” no começo do livro. A fonte utilizada é levemente condensada, e deu uma exprimida saudável e elegante no texto.

Acho que o único ponto negativo de Como Eu era antes de Você fica por conta da revisão. Vi alguns erros sérios que me incomodaram um pouco, e talvez valeria uma nova olhada para uma próxima edição do livro.


História

A primeira impressão que tive enquanto lia CEEAdV (desculpem, o título é muito longo…) foi que chegava muito perto de uma releitura do conto de fadas dA Bela e a Fera. A ideia de uma moça ir trabalhar na casa de uma família rica onde seu filho é um tetraplégico amargo e que afasta todas as pessoas se aproxima bastante, não acham?

Apesar dessa sensação, o livro acaba sendo bem diferente em seu desenvolver, apesar de a autora ter criado o seu “Gaston” no namorado (insuportável) da Louisa. Obviamente, o rapaz já foi desenvolvido para ser o personagem enfadonho (“booooring”!) e gerar no leitor aquela sensação de que, é óbvio, Will (o rapaz tetraplégico) é um partido muito melhor para nossa heroína.

O livro é muito bom, ao mesmo tempo que é muito triste. Diferente de “Um Dia”, que constrói uma expectativa no leitor de “felizes para sempre” e acaba não sendo nem um pouco assim (sem spoilers, só digo que se você quer sofrer, Um Dia é sua opção do dia, trocadilho), se CEEAdV tivesse um desenlace diferente eu ficaria decepcionada.

Acompanhar o amadurecimento e crescimento de Louisa durante as 320 páginas do livro é divertido, sensível e algumas vezes inesperado. Descobrir o que a tornou uma pessoa assustada com a possibilidade de ter objetivos que fujam de seu cotidiano, que a impediam de desejar e sonhar fora de seu mundo tranquilo, é emocionante. Ver o quanto a moça se torna peça fundamental na vida de Will nos seis meses que passam juntos deixa a gente bastante emotivo. Perceber como cada um ajuda o outro a mudar e ser uma pessoa diferente, talvez até melhor, também é marcante. Confesso que eu torcia enlouquecidamente para a Louisa tomar uma decisão quanto ao namorado pentelho e auto-centrado todas as vezes que a história voltava o foco para o relacionamento dos dois.

A família de Louisa também é outro coadjuvante importante para o contexto da personagem e que faz parte do que a transforma na pessoa carinhosa e espirituosa que é. A autora inclusive nos dá de presente alguns capítulos que são contados pelo ponto de vista de outros personagens que não Louisa ou Will. Então a irmã de Lou, o enfermeiro, a mãe e o pai de Will também tem pelo menos um momento em que emprestam suas vozes para contribuir com a história.

O livro, apesar de ser muito triste em seu todo, é muito agradável de ler, faz com que pensemos na mortalidade do ser humano, no quanto vale uma vida quando suas vontades são arrancadas de você e em qual é o verdadeiro poder do amor em situações decisivas em nossas jornadas. Fiquei um pouco mexida quando terminei o livro e acho que, no fundo, vai me marcar por um bom tempo as decisões de Louisa e Will.

Leiam, abram suas mentes, e tenham um lencinho por perto caso escorra uma lágrima.


Até a próxima! o/
banner-resenha-intrinseca

Você também vai gostar

22 Comentários

  • Responder Bruna Vasconcelos 19 nov 2014 at 15:36

    Tão Lindo! Tão Lindo! Se tornou meu livro do ano.
    Li algumas pessoas inconformadas com o término, mas concordo com você – ficaria frustrada se fosse diferente. Não seria coerente com a história.
    Rolou uma super identificação com Louisa .. rsrs

    Um romance que vai além do “lugar comum’. *-*

  • Responder @LuxBrito 11 jun 2013 at 19:30

    Depois de tu dizer várias vezes que o livro é triste, fiquei com receio de ler e chorar livros, como chorei com Um Dia e A Culpa é das Estrelas.
    Mas enfim, a história parece ser legal e tratar de temas como mortalidade é algo bem interessante de se fazer.

  • Responder Tainá Eugênio 11 jun 2013 at 14:42

    Li alguns comentários sobre o livro que me fizeram ficar interessada nele, não só pela forma com que fizeram a divulgação, mas pelo fato da história também parecer ser bem legal, diferente e eu gosto disso, do diferente. Gosto de livros que comovem a gente, só não espero chorar como chorei no livro “A Culpa é das Estrelas” do autor John Green, mas valeu a pena. Espero poder ter a chance de ler este também.

    Sorte para mim. <33

  • Responder Beatriz Nathaly 10 jun 2013 at 11:30

    Esse parece ser um livro muito interessante, e eu estou bastante curiosa para ler. Além da capa, que é linda por sinal, a sinopse me chamou bastante atenção. Adorei a sua resenha ^^

    Beijos

  • Responder Suzanna Rani 10 jun 2013 at 11:30

    Lembra da promo que a submarino fez recentemente de 5 livros por 5o? Esse era um dos que eu queria :/ Mas não consegui colocar no carrinho só de tanta gente querer também.
    Eu imagino o quanto esse livro seja maravilhoso!
    Tô louca pra ler.
    Beijos!

  • Responder Gladys Sena 8 jun 2013 at 22:12

    Desde o lançamento apostava minhas fichas nele e sua resenha só me animou mais!
    Achei a premissa muito interessante e não me incomodo em ler dramas.
    Estou curiosa em conhecer a escrita da Jojo, ;)

  • Responder Vanilda Procopio 8 jun 2013 at 18:13

    Não sabia que a história tinha esse tom de tristeza e emoção. Pensei que era algo voltado mais para o lado romântico. Além do mais, deve ter uma grande lição de vida. Acho que é uma leitura que vale mesmo a pena.

  • Responder Thaís Cristina 6 jun 2013 at 23:03

    A Jojo Moyes é uma linda que faz livros lindos *-*
    Me apaixonei por A última carta de amor e fiquei super curiosa pra ler esse!
    Amo/sou livros de amorzinho que fazem chorar, rs
    Beijinhos.

  • Responder Manu Hitz 6 jun 2013 at 18:24

    Ah, como não gostar de uma história assim? Lembrei logo do filme Os Intocáveis, uma relação entre um cuidador e um tetraplégico…
    Como os personagens aqui terão a aprender um com o outro! É exatamente isso que procuro numa leitura: que me faça refletir, que termine e deixe alguma sensação que preencha, que sinta o quanto valeu a pena!

  • Responder Paula Kaliny 4 jun 2013 at 21:35

    bem interessante, amando o livro em 3..2..1.. kk beijos

  • Responder [promoção] sorteio de Como Eu era antes de Você, da editora Intrínseca | Parafraseando Livros 3 jun 2013 at 10:33

    […] comemorar a parceria e a publicação da resenha de Como eu era antes de Você (não leu ainda?! vê aqui ó), entra no ar hoje promoção de duas semanas para os leitores do blog concorrerem a um exemplar do […]

  • Responder Carol Teles 2 jun 2013 at 22:40

    Ele deve ser muito bom mesmo!
    Tenho muita vontade de ler, apesar de mão gostar de livros tristes. Mas fazer o que? Vi muitas blogueiras falando maravilhas do livro e resolvi tentar. Quem sabe…

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

  • Responder Thamires Lima 2 jun 2013 at 11:20

    Parece uma história bem interessante e cheia de sentimentos…sem contar que a capa é linda demais *-*

  • Responder Giselda 1 jun 2013 at 19:35

    Preciso muito ler esse livro!!! lindo!

  • Responder Cristiane de oliveira 1 jun 2013 at 13:59

    Nossa amo muito essa escritora e já li dois livros dela e não posso ficar sem esse, que carrega drama e em suas linhas mas nós faz pensar e chorar, quero muito acompanhar tudo que vai acontecer entre Will e Louisa.
    Amei a resenha de verdade já li outras mas essa é a melhor.

  • Responder Vanessa Riper 31 maio 2013 at 20:44

    Olá!
    A principio pensei que o livro se tratasse de um romance (romãntico), que mudaria muito a vida da protagonista. Porém foi uma surpresa boa saber que a história não é bem assim.
    Gosto bastante de histórias que mostram a transformação de um personagem, e nesse caso ambos se transformam juntos, se tornando pessoas melhores! o decorrer da história parecer ser bem emocionante!
    Estou curiosa para conferir!
    Beijos!

  • Responder Shadai Vieira 31 maio 2013 at 19:18

    Apesar da capa super feminina eu acabei gostando do título deste livro, e saber pela resenha que é uma história triste que questiona mortalidade fez eu ficar ainda mais curioso para lê-lo um dia.

    E, coincidentemente, tenho ouvido uma música que talvez combine com esse livro pois o refrão é assim:
    “Every day I pray
    I’m the first to go.
    Without you I would be lost.”

  • Responder Bruna Maria de Sousa Oliveira 31 maio 2013 at 18:34

    Bem, gostei muito da capa. Achei fofa e gosto de capas assim.
    Quanto a história, me surpreendi com a resenha. Pensava que fosse um romance como tantos outros que tenho lido ou conhecido por meio de resenhas, algo água com açúcar, que vc já sabe como vai terminar, mas mesmo assim sua curiosidade de que haja algo diferente te vence.
    Parece-me que é um livro capaz de ensinar e comover. Gostei muito.
    Parabéns pela resenha!

  • Responder Cristiane Silva 31 maio 2013 at 17:42

    muito legal esse novo livro dele, que história fofa *-*
    querendo muito ler!

  • Responder Rodrigo Lessa 31 maio 2013 at 17:35

    Nossa, que bacana a historia, parece ser comovente, pelo que vejo estao gostando mt mt desse livro, no skoob varios dando 5 estrelas, achei muito interessante também, é igual ao tema do meu trabalho desse ano no curso de arte, memoria e passado, como ele era antes dele e como é depois. Muito bacana , a autora deve ter pensado em cada detalhe p livro ficar perfeito!

  • Responder Regilene Dias 30 maio 2013 at 13:44

    Me pareceu uma história interessante e super bem desenvolvida. Assim que eu puder vou ver se eu leio.

  • Responder Daiane Spurio 29 maio 2013 at 15:55

    nossa, q lindo!!! esse eu preciso ler, adoro livros humanos, carregado de sentimentos fortes… ^^

  • Deixe uma resposta