resenha

Estilhaça-me – Tahereh Mafi

7 maio 2013
Informações

estilhaça-me

tahereh mafi

novo conceito

série estilhaça-me #1

304 páginas | 2012

4.75

Design 4.5

História 5

12

Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Design

Estilhaça-me é um livro extremamente bonito, a começar pela capa com seu efeito metalizado. Achei a escolha da modelo para Juliette perfeita mas o vestido que ela está usando é horrendo. Até hoje não entendo porque a Novo Conceito coloca query codes em suas capas. Não tenho um leitor de código no meu celular por isso nem sei ao que o símbolo linka.

Na orelha temos um probleminha de revisão. O texto reproduzido aqui é o mesmo que aparece na página 13, mas tem um “não” sobrando na orelha, e fica complicado saber se quem está certo é o miolo ou a orelha.

O miolo é muito bonito. Como o livro não tem colofon, aquelas informações que costumas vir na última página sobre papel e fonte, não tenho como afirmar com certeza mas a fonte semi-sans, que é um meio termo entre a serifada e a não serifada, é bem agradável de ler. Os capítulos são curtos, numerado, começam em páginas ímpares, e com grafismos de vidro estilhaçado.

A editora teve bastante cuidado com a revisão e, fora a orelha, não percebi nenhum outro erro durante a leitura.


História

Preciso começar esta resenha dizendo que Tahereh Mafi me conquistou. Tive que marcar Estilhaça-me como favorito no Skoob, e estou torcendo para que os próximos livros da série continuem tão bons quanto o de sua estreia.

O livro é sim uma distopia, tem os conhecidos “clichês” de romances voltados para jovens, mas tem duas coisas que me conquistaram fortemente: Juliette, a personagem principal, e a proximidade com história em quadrinhos.

De todos os livros que li até hoje é comum me encontrar um pouco nas personagens. Já me vi em Hermione, em Lyra, em Annabeth, em Bella, em Nihal… a lista é enorme. Mas nunca me refleti tanto em um personagem como Juliette.

Durante minha adolescência eu já fui meio louca louca louca, meus pensamentos ainda são concatenados e sem vírgulas até hoje. Meu único desejo era que gostassem de mim, que eu pudesse “tocar” em alguém. E eu sempre quis ser a Vampira dos X-men. Então, me imaginar e identificar com Juliette foi a coisa mais natural para mim.

De certa forma me sentia em uma prisão dentro do meu corpo, assim como a personagem. Então, diferente de muitas resenhas que li de pessoas que se incomodaram com os capítulos iniciais do livro, eu abracei e me identifiquei. E amei a história!

Em um futuro distópico, Juliette nasce com uma maldição. Quando encosta em outra pessoa ela causa dor e pode até matar.

Ela está confinada em uma prisão a 264 dias. Sem contato, sem falar com ninguém. Sozinha e abandonada por seus pais.

Então, um rapaz lindo é jogado dentro de sua cela, e sua vida muda para sempre.

O livro é apaixonante, contado em primeira pessoa, e inicialmente com poucos personagens. Achei ótimo porque assim Tahereh pode se concentrar em algo muito mais importante: criar uma história e um mundo mais crível.

Com muitas reviravoltas, o terço final do livro é rápido, vertiginoso, e quando você dá por si já acabou e você quer mais e mais. Recomendadíssimo para os fãs de X-men e Heroes. Vocês vão entender o porquê. ;)

Para aqueles que gostaram do livro como eu, o próximo volume, Liberta-me, foi lançado pela Novo Conceito mês passado com a capa mais horrenda da história da humanidade. A novela que se passa entre os dois primeiros, contada através de Warner, o vilão de Estilhaça-me, foi disponibilizada de graça pela editora em formato de e-book, e você pode baixar aqui.

Espero ansiosamente pelos último lançamento, que ainda não tem nome e só vem em fevereiro de 2014. E desejo firmemente que Tahereh Mafi saiba de verdade escrever histórias de pessoas com superpoderes. Porque é preciso muito pouco para estragar um ótima história quando não se balanceia corretamente as forças e fraquezas de um personagem.

Se você quiser aprender a pronunciar o nome da autora, ela gravou a si mesma falando seu nome que, aliás,  é bem bonito.


Até a próxima! o/

Você também vai gostar

2 Comentários

  • Responder Samara Maima 7 maio 2013 at 11:12

    Ai Lygia, eu curti o Warner mas ele é muito perturbado neste livro para eu conseguir gostar dele como interesse romântico para a Juliette. Óbvio que eu estou esperando que a Tahereh construa uma forma de criar uma tensão entre os dois, que ele tenha a oportunidade de explicar que ele é probleminhas por causa da família, da sociedade, do trabalho…

    Mas enquanto eu não sei de nada disso, Warner é só o maluco da história. Ainda mais que eu imaginei ele como o ator que vai fazer o Jace em Cidade dos Ossos, e isso não é um elogio, não acho ele bonito…

    E eu aceito o abraço de urso, mas sem lágrimas porque isso já passou!
    Beijos! o/

  • Responder Lygia 7 maio 2013 at 10:56

    COMO vc n falou do maravilindo Warner? Sabe, eu achava ele um pouco sádico em Estilhaça-me (o que isso deve dizer de mim? Hum…), mas vendo um ponto do seu ponto de vista, gostei mais ainda do personagem! <3
    Gosto do Adam tbm, mas ele é o típico protagonista bonzinho e com "grandes" causas, então gostar dele é fácil. Complicado mesmo é gostar de alguém com todos os seus defeitos, esdrúxulos ou não.

    E sua identificação com a Juliette? Bom, posso te dar um abraço de urso agora? *chora*

    Beijinhos!

  • Deixe uma resposta