bate papo

os três livros que mudaram minha forma de ver e viver a vida

16 fev 2013

Segunda postagem coletiva - Projeto Beletristas

Este post faz parte da 2ª Postagem Coletiva do Projeto Beletristas, organizado pela Camille Thomaz do Revista Innovative. Desta vez a pergunta foi mais difícil de responder, afinal quais foram “Os três livros que mudaram minha forma de ver e viver a vida?

Eu acho que nunca parei para pensar se esses livros que escolhi tiveram um poder tão absoluto de mudança em mim. No entanto, lembro da vontade louca de querer reler os livros assim que terminava. Da felicidade de passar pelas provações e aventuras juntos com os personagens. De me sentir representada em todas as histórias.

A Marca de uma Lágrima, se não me engano, foi o primeiro livro que li do Pedro Bandeira. Naquela fase de início da adolescência em que você é feio demais porque tudo está mudando, e o nível de insegurança beira o infinito. Tudo pelo que Isabel passou nas páginas de sua história refletiam meus sofrimentos. Eu me sentia Isabel, não era difícil me imaginar na pele da personagem. Torcer para que tudo desse certo para ela, de certa forma, era torcer para que algum dia desse certo para mim também. Li tantas vezes o meu exemplar que mandei espiralar a lombada de tão surrado que o bichinho ficou. O que me lembra que seria ótimo repor a minha estante com a nova edição. :D

Não me lembro muito bem como descobri a série As Brumas de Avalon. Acho que me interessei inicialmente por ser uma história do Rei Artur, e eu sempre fui bastante apaixonada pelo conto de cavalaria, o mago Merlin, a espada na pedra, o herói improvável… Acho que foi um pouco de culpa de um filme bem velho chamado Excalibur, eu achava o máximo a moça saindo do lago para pegar a espada de volta… Bem, voltando. Uma grande amiga me presenteou com uma versão de sebo da série. E foi amor “à primeira lida”. Acho que foi uma das minhas primeiras experiências com uma narrativa mais adulta, focada em um personagem feminino extremamente forte e determinado, que tenta a todo custo cumprir da melhor forma o seu destino, mesmo sofrendo ao longo de todo o caminho.

Na visão de Marion Zimmer Bradley a personagem de Morgana ganhou uma importância quase tão grande quanto a de Artur, como instrumento de modificação e amadurecimento de uma nação em formação. Ela é uma mulher, tentando fazer com que suas crenças e seu valor seja aceito em uma sociedade que começa a abraçar uma visão machista e patriarcal. Esta vontade e força de Morgana, até mesmo em suas decisões erradas ou escolhas infelizes, me marcaram tremendamente. Inclusive me incomodei em ver a mesma personagem representada de forma “bruxa louca” na visão de Bernard Cornwell. Para mim, Morgana sempre vai ser a sacerdotisa de Avalon com sangue das fadas, que tentou manter a cultura celta forte e ativa na Inglaterra do Rei Artur, que abraçava os ideais cristãos. Além disso, a série me fez eleger Marion Zimmer Bradley como uma das minhas autoras favoritas de todos os tempos, e já li muita coisa dela por causa dAs Brumas.

Por último, mas não menos importante, A Bússola de Ouro do Philip Pullman. Esta foi uma série que me fez ir até a livraria no dia que acabei o primeiro livro para comprar o segundo, e depois o terceiro. É um pouco difícil de explicar meu relacionamento com Lyra e Will. Uma das coisas mais interessantes está na criação do mundo ou da dimensão em que vivem os personagens. Pullman faz uma crítica social, religiosa e política ferrenha, mas ao mesmo tempo velada em sua série As Fronteiras do Universo. Em uma Inglaterra onde todas as pessoas possuem um Daemon, cientistas passam a querer descobrir a ligação entre a chegada da idade adulta e a fixação em somente uma forma animal, um pó misterioso que se fixa nas pessoas vindo do céu, e a criação. Imagina ter um “pokemon” particular com quem conversar, que te faz companhia e te ajuda a sair de enrascadas!

Apesar dos personagens principais serem crianças, os questionamentos que elas enfrentam, as decisões e atitudes que têm refletiram muito em coisas que eu já questionava. Coisas sobre religião, crenças, relacionamentos, comportamentos, hierarquias e políticas. Lembro de ter parado várias vezes durante a leitura para refletir sobre os apontamentos do autor. E também de sempre ter uma nova descoberta quando relia os três livros. Amantes de Harry Potter e Percy Jackson me perdoem, mas Fronteiras do Universo é a melhor série que já li até hoje. Coloquem nas suas listas de “tem que ler” já!

Acho que o que faz esses livros tão importantes para mim também é a quantidade de vezes que já os reli até hoje. Relembrar deles me fez ter vontade de pegá-los de novo. Principalmente A Marca de uma Lágrima. Adoraria saber se eu ficaria tão “marcada” quanto tenho a lembrança de ter ficado na minha adolescência.

 

capa do livro A Marca de uma Lágrima

A Marca de uma Lágrima [skoob] – Pedro Bandeira

Isabel (personagem principal) acaba escrevendo lindos versos para ajudar o namoro de Rosana, sua melhor amiga, com Cristiano, seu grande amor. A morte da diretora da escola vem alterar sua vida e precipitar os acontecimentos. Isabel foi testemunha de uma cena muito suspeita e se sente ameaçada. A idéia da morte começa a tomar conta de seu cérebro, enquanto seu coração se despedaça pelo amor de Cristiano.

 

capa do livro A Senhora da Magia - As Brumas de Avalon - Marion Zimmer Bradley

A Senhora da Magia [skoob] – Marion Zimmer Bradley
série As Brumas de Avalon #1

Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos,a lenda de Artur, como se fosse nova de, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.

 

capa do livro A Bússola de Ouro - Philip Pullman

A Bússola de Ouro [skoob] – Philip Pullman
série Fronteiras do Universo #1

O primeiro volume da trilogia Fronteiras do Universo, de Philip Pullman, se passa em um mundo muito parecido com o nosso — mas com algumas curiosas diferenças. Ciência e religião se confundem. Todo ser humano possui um dimon, um animal inseparável que na infância toma várias formas. E existe um raríssimo objeto que aponta a verdade, mas ninguém sabe fazê-lo funcionar. Lyra é uma menina levada que vive na tranqüila cidade universitária de Oxford, na Inglaterra. Lá, crianças começam a desaparecer. E quando seu grande amigo Roger, some, Lyra parte em sua busca, disposta a desafiar seus próprios temores. Na paisagem árida do Norte, onde tenta encontrar Roger, Lyra enfrenta uma terrível conspiração que faz uso de crianças-cobaias em sinistras experiências. Entre ursos usando armadura e bruxas que sobrevoam as sombrias geleiras, Lyra terá que fazer alianças inesperadas se quiser salvar o amigo de seu trágico destino.


E você, leitor do blog, quais livros mudaram você? ^^

Você pode conferir a opinião das outras participantes da postagem visitando os seus blogs!
[ssredlist]

[/ssredlist]

Até a próxima! o/

Você também vai gostar

Nenhum comentário

Deixe uma resposta