resenha

Amante Liberto – J.R. Ward

5 jan 2013
Informações

amante liberto

j.r. ward

universo dos livros

série irmandade da adaga negra #5

525 páginas | 2011

4.375

Design 4.75

História 4

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, a guerra explode entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. O coração gelado de um predador será aquecido mesmo contra a sua vontade… Destemido e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, possui uma maldição destrutiva e a capacidade assustadora de prever o futuro. Criado no campo de guerra de seu pai, ele sofreu maus tratos e abusos físicos e psicológicos. Membro da Irmandade, ele não se interessa por amor nem emoção, apenas pela batalha com a Sociedade Redutora. Mas, quando uma lesão mortal faz com que fique sob os cuidados de uma cirurgiã humana, a Dra. Jane Whitcomb, ele é levado a revelar a dor que esconde e a experimentar o verdadeiro prazer de pela primeira vez… Até que o destino, que V. não escolheu, o leva para um futuro do qual Jane não faz parte.

Design

Para ler minha avaliação completa de design do primeiro livro da série é só clicar aqui.


História

Mexi novamente na nota da história. Apesar de ser um dos meus irmãos favoritos, junto com Zadists, a história deste vampiro quase me irritou um pouco. Cada um dos irmãos representa um tipo de emoção/descontrole que parecem ser presentes em um homem, e estão representadas em seus nomes. Daí pode-se entender que “vício” é um problema para Vishous (eita trocadilho infame)!

Em Amante Liberto, Vishous é o macho dominador, que precisa inclusive de um pouco de masoquismo para sentir prazer. Talvez por isso este livro teve menos cenas sensuais/sexuais que seus antecessores.

Um ponto negativo para mim na história foi Phurry. Dos irmãos é o que eu menos gosto até o momento, pode ser que isso mude depois de Amante Consagrado… Mas seu excesso de desprezo e autodestruição me irritam. Ainda mais quando ele perde o controle e passa a achar que ser espancado e sentir dor é legal… ¬¬

Uma das coisas boas da história é a transição de John Matthews! Finalmente ele deixou de ser um moleque. Gosto muito do personagem e ele é um dos únicos personagens que sempre tem uma presença nas histórias dos outros irmãos desde o segundo livro.

Outra coisa legal foi acompanhar os flashbacks de Vishous, da época em que estava no campo de treinamento de seu pai, descobrir quem é sua mãe e o papel que é esperado que cumpra para com a raça.

A história começa com um flashback mostrando duas irmãs, Jane e Hannah. Jane pergunta para um tabuleiro de Ouija (o nosso equivalente da brincadeira do copo, conhecem?) com quem ela se casaria e o jogo responde: Vishous. Anos mais tarde, Hannah está morta e Jane se tornou uma cirurgiã renomada.

Durante uma batida no centro enquanto Vishous está atrás de redutores, ele é baleado, socorrido e enviado para o hospital onde Jane é médica na emergência. Vishous acaba criando um vínculo com a Jane e quando seus irmãos chegam para buscá-lo, ele pede que sequestrem a médica com a desculpa que ainda precisa de seus cuidados.

A história segue alternando entre os pontos de vista de Vishous, Phurry e John, tem pouca ou quase nenhuma intervenção de redutores (a não ser no clímax final) e mostra muitos flashbacks da juventude Vishous até ele ser aceito na Irmandade.

Mais um livro imperdível da J.R. Ward, bem melhor que o anterior, diga-se de passagem. Louca para completar a coleção!


Até a próxima! o/

Você também vai gostar

1 comentário

  • Responder Miss Carbono 10 jan 2013 at 10:07

    Amooo a I.AN. \o/

    Já li até Amante Libertada e, até agora, Vishous e Rhage são meus heróis favoritos ^^

    Gosto bastante desse livro do V. principalmente por que não tem aquele capitulo apenas falando de redutores (algo constante nas outras histórias).

    Também concordo com o seu comentário sobre o Phury: chega ser irritante ler as cenas desse personagem nesse livro, o que continua ocorrendo em “Amante Consagrado” : De todos, o livro do Phury foi o que menos gostei, e este é o personagem que menos gosto da IAN (então se prepare =P)

    Até mais!

  • Deixe uma resposta